Ciro, ao La Nacion: ‘Para salvar a República, precisamos salvar Dilma’


Notice: Trying to get property 'post_content' of non-object in /home/pdtorg/public_html/wp-content/themes/vmag/template-parts/content-single.php on line 30

Notice: Trying to get property 'post_excerpt' of non-object in /home/pdtorg/public_html/wp-content/themes/vmag/template-parts/content-single.php on line 46

“Remédio para governo ruim não é interrompê-lo”, afirmou o ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes em entrevista a Alberto Armendáriz, do diário argentino “La Nacion”, publicada neste final de semana. Ao condenar a tentativa de impeachment da presidente Dilma Rousseff em andamento na Câmara dos Deputados, Ciro fez dura acusação ao vice-presidente Michel Temer, grande beneficiário da deposição da presidente Dilma.

“Dilma não está sendo investigada nem é supeita de corrupção.  Já Temer, que assumirá o poder caso ela seja obrigada a sair da presidência, é parte de todo o conjunto orgânico de corrupção que existe no Brasil”, acusou Ciro Gomes, frisando que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e do senado, Renan Calheiros – são aliados de Temer.

Na opinião do pré-candidato do PDT à presidência da República em 2018, a nomeação de Lula para o Gabinete Civil “foi a idéia mais estúpida que já vi na minha vida pública”, porque uniu a direita e colocou em xeque o governo de Dilma que não teve um minuto sequer de paz, desde a reeleição – porque a direita não aceitou e não aceita a derrota que sofreu nas urnas.

Na opinião de Ciro, a crise  a atual polarização na vida política brasileira vai desembocar em violência: “No Brasil estamos na iminência do surgimento de cadáveres”. O que efetivamente já começou a acontecer com o assassinato, em Minas, do policial civil que fazia gravíssimas acusações ao senador Aécio Neves.

Leia, em espanhol, a íntegra da entrevista de Ciro ao ‘La Nacion’:

http://www.lanacion.com.ar/1883264-ciro-gomes-el-nombramiento-de-lula-fue-la-idea-mas-estupida-que-vi-en-mi-vida-publica

 

Leia também entrevista de Ciro Gomes à Agência Estado, aqui: