Waldez Góes assina termo de adesão ao PDE

O governador do Waldez Góes considerou proveitosa a visita do ministro da Educação Fernando Haddad ao Amapá. Góes avaliou oportuna para discutir os avanços, levantamento de novas metas e apoio nos projetos do Estado. “É satisfatório saber que o ministro Fernando Haddad apóia o plano desenvolvido no Estado para educação, somando conosco essa política de gestão na melhoria da educação básica, pois investir na educação básica significa investir também na educação profissional e superior”, declarou o governador.


Com apresentações do grupo de marabaixo, escola de música Walkíria Lima e grupo de dança dos alunos especiais da escola Raimundo Nonato, o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) no Amapá, marcou o começo de um novo tipo de gestão educacional. O Termo de Adesão ao Plano de Metas “Compromisso Todos Pela Educação”, foi assinado pelo governador Waldez Góes, confirmando o compromisso com a educação.
A solenidade de lançamento do PDE aconteceu na manhã desta terça-feira, 07, no Teatro das Bacabeiras. As ações do compromisso foram detalhadas por Maria Pilar Lacerda, secretária de educação básica do Ministério da Educação. Ela apresentou o objetivo do plano, que é de investir na educação básica, envolvendo todos os níveis governamentais, pais, gestores, professores e alunos em iniciativas que busquem o sucesso e a permanência do aluno na escola.
O Plano tem definidas 28 diretrizes, que devem ser seguidas pelos Estados Brasileiros que assinarem o Termo. “A assinatura do Termo de Adesão mostra que há um interesse em assumir o comprometimento com a aprendizagem”, disse o ministro da Educação (MEC), Fernando Haddad.
Dentre as diretrizes estão mais recursos para educação básica (Fundeb); Incentivo à ciência, aplicando menos tributo para quem investir em pesquisas; Acesso Facilitado, através do Fies; Inclusão digital, dando acesso a computadores em todas as escolas; a ampliação do acesso dos educadores à universidade, entre outras ações do PDE, que pretendem atingir mais de 1,2 mil municípios, através de 7080 escolas em todo o Brasil, principalmente na região norte e nordeste.
O Amapá foi o segundo Estado a aderir o Plano desenvolvendo ações como concursos públicos, capacitação e formação de professores do Estado, ingresso de professores indígenas, plano de cargos e salários da educação, ampliação da educação no campo, reforma e construção de escolas, além da implantação de uma universidade estadual e adesão a Agenda do Milênio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), entre outras ações do Governo do Estado, voltadas para a educação, o PDE terá seu processo de desenvolvimento, no Estado, dentro das suas diretrizes.
O ministro Haddad disse que “é necessário desenvolver um plano de trabalho plurianual, para que o objetivo de levar a educação a todos permaneça e não termine com as trocas de equipes de governo”. Com isso, Haddad avalia que é necessária a participação da sociedade na continuidade do projeto.