Vieira registra os 47 anos da legalidade

O deputado federal Vieira da Cunha (RS), líder do PDT na Câmara dos Deputados, registrou, na tarde desta quarta-feira (27), no Plenário da Casa, os 47 anos do Movimento da Legalidade. Ele lembrou que o então jovem governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, resistiu de forma heróica, juntamente com centenas de milhares de compatriotas, à tentativa de golpe que surgiu com a renúncia do presidente Jânio Quadros, no dia 25 de agosto de 1961. “Considero aquele movimento histórico uma das mais belas páginas da história política do nosso País. Os militares proclamaram publicamente a sua resistência à posse do presidente constitucional João Goulart, daí porque o movimento se chamou Campanha da Legalidade’”, explicou o líder do PDT.

Vieira da Cunha recordou que após dias de resistência popular, o movimento liderado por Leonel Brizola, saiu vitorioso. “Esse triunfo se deveu exatamente à coragem, à obstinação, ao espírito cívico, ao patriotismo do então governador do RS, Leonel de Moura Brizola”, discursou. O líder pedetista leu um trecho de um pronunciamento histórico que Brizola fez ao tomar conhecimento da ordem para bombardear o Palácio Piratini e a Praça da Matriz, onde, àquela altura, encontravam-se cerca de 100 mil pessoas, “uma multidão mobilizada em defesa da Constituição e da democracia em nosso País”, acrescentou Vieira.

O deputado destacou a coragem de Brizola em defesa da legalidade e a forma como conclamava o povo para resistir. “Ele dizia que poderia ser esmagado e destruído e até morto, mas ele, sua esposa e amigos iriam protestar, lavando a honra da nação, resistindo até o fim”.
A mobilização popular liderada por Leonel Brizola sensibilizou o então Comandante do 3º Exército, General Machado Lopes, cujo gesto de adesão à legalidade foi decisivo para que o movimento triunfasse e João Goulart pudesse, finalmente, no dia 7 de setembro, tomar posse como Presidente constitucional do Brasil”, destacou Vieira.

Veja a íntegra do discurso