Turismo é beneficiado com verbas do FAT

 Codefat aprova linha de crédito que financia pacotes turísticos para aposentados e inclui empresas da área no Giro Setorial

Brasília, 11/07/2007 – Duas medidas aprovadas na quarta-feira(11) pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao trabalhador (Codefat) beneficiam diretamente o setor do Turismo. Além da criação da linha de crédito FAT Turismo Sênior, no valor de R$ 50 milhões para incentivar aposentados a viajar pelo Brasil, principalmente na baixa temporada, as empresas do setor também foram incluídas no programa FAT Giro Setorial, linha de crédito especial concedida para apoiar empresas do setor exportador.


“Até então o Turismo não era beneficiado pelo Giro Setorial, o que não fazia sentido, já que é um setor que gera milhares de empregos”, explicou o presidente do Codefat, Ezequiel Nascimento. O programa proporciona às empresas acesso a capital de giro, com prazo de 24 meses e taxas de até 9,22% ao ano.


Já a linha de crédito FAT Turismo Sênior irá complementar o programa Viaja Mais Brasil Melhor Idade, que o Ministério do Turismo lançará em agosto, funcionando nos mesmos moldes do sistema de crédito consignado da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil: aposentados e pensionistas poderão obter nos dois bancos empréstimos para a compra de pacotes turísticos de até R$ 3 mil, com juros de até 1% ao mês, que serão quitados em até 24 meses, com seis meses de carência.


A ministra do Turismo, Marta Suplicy, participou da abertura da reunião ao lado do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, onde destacou a importância de novos investimentos capazes de estimular o turismo interno. “O país registra 42 meses de aumento no consumo, mas este crescimento não está se refletindo no Turismo”, afirmou. Já o presidente do Codefat destacou o caráter pedagógico da medida. “Geralmente as linhas criadas pelo Codefat estimulam o sistema bancário a abrir outras linhas semelhantes”, observou Nascimento.


Outra deliberação do conselho foi aumentar o valor do empréstimo para compra de computador pessoal. O limite para a linha de crédito, FAT – Inclusão Digital, no âmbito do Programa Brasileiro de Inclusão Digital, foi ampliada para financiar a compra de computadores com valor até R$ 1,8 mil. “Isso vai facilitar a inclusão digital dos professores, inclusive, alguns estados estão nos propondo parcerias para facilitar a compra dos equipamentos”, avaliou Nascimento. Antes o limite da linha era de R$ 1,2 mil.


O orçamento do FAT para 2008, que estava previsto para ser votado na reunião foi adiado para a próxima quarta-feira (19). “Estamos trabalhando para aumentarmos o valor destinado à qualificação de trabalhadores, que é a prioridade do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. Temos grandes chances de aumentarmos esse valor para o próximo ano”.



Assessoria de Imprensa do MTE