O Trabalhismo e a Juventude Socialista no século XXI

Everton Gomes

Leonel Brizola há vinte e seis anos abria o I Congresso Brasileiro do Socialismo Democrático, nome do primeiro congresso do PDT. Naquela época, a luta era para reconstruir o Trabalhismo e apontar que os novos rumos para o desenvolvimento do Brasil se dariam por uma sociedade menos desigual e democrática. O socialismo empolgava àqueles companheiros que, com Brizola se uniram pra mudar nosso imenso e rico Brasil.

O momento era de crise, mas também de esperança. Era a possibilidade de retomar o diálogo político no Brasil, que teve sua população calada por tantos anos em que viveu um regime de autoritarismo e violência. A constituinte, as pautas sobre direitos humanos, a decisão de incorporar o trabalhismo brasileiro a família do socialismo democrático internacional empolgaram muitos brasileiros e, dentre eles, muitos e muitos jovens.

Passados tanto tempo, muita coisa mudou neste Brasil, mas as contradições de classe, a espoliação internacional e várias mazelas sociais persistem. Nosso partido, é claro, esteve sempre na vanguarda da luta do povo brasileiro e nós da JS podemos nos orgulhar e dizer que sempre fomos a vanguarda do PDT. Lutamos pela redemocratização, contra as reformas neoliberais, fomos às ruas pedir o impeachment de um presidente que traiu nossa Nação, lutamos contra as reformas ditas modernizantes de FHC em seus dois governos. Enfim, auxiliamos a construção da luta que levou o primeiro operário a governar este país. Ajudamos a eleger a primeira mulher presidente em nossa história. Não deixamos de lutar jamais. Nossa bandeira sempre esteve de pé, em cada escola, universidade, passeata, nas frentes que ousam discutir direitos pra minorias, nós da JS sempre estivemos lá.

E agora? Qual deve ser o nosso papel em pleno século XXI, nesta sociedade pós-industrial, individualista e que tende a desprezar a política como ferramenta das mudanças? Nosso papel é dar continuidade a luta. Não podemos vacilar, assim como toda àquela geração dos anos 60 que foi pras ruas dizer não ao golpe contra os trabalhistas e João Goulart, ou a outra que garantiu a chegada no poder de forma revolucionária do grande pai dos trabalhadores Getúlio Vargas. 

Assim como nos anos oitenta, Brizola inovou nas temáticas e pautas. Nós da JS devemos ser ousados e garantir que nosso partido continue sendo de luta. Nós que somos cibernéticos, globais, que respeitamos a diversidade e a pluralidade. Que construímos o dia dia nas ruas e praças levantando a bandeira de um Brasil de todos, somos o PDT. Cada dias mais construir nosso partido é nossa tarefa e lutar pra fazer avançar a nossa sociedade. Contem conosco! Contem com a Juventude Socialista de Vargas, Jango, Darcy, Abdias, Edialeda, Prestes, Brizola , Manoel Dias, Lupi e tantos outros companheiros que constroem o socialismo e a democracia em todo o noso Brasil.

Viva A JS VARGOJANGOBRIZOLISTA! Viva o Brasil! 

 

*Everton Gomes é Bacharel em Direito e Mestre em Ciência Política, é vice-presidente nacional da Juventude Socialista do PDT e membro titular do Diretório Nacional do PDT.