Senadora Patricia Saboya se filia em Fortaleza

   
 A senadora Patrícia Saboya se filiou nesta sexta-feira (28/9) ao PDT, ao meio dia, em clima de pré-lançamento de sua candidatura à Prefeitura de Fortaleza. O ato contou com a presença do presidente nacional do partido, Ministro do Trabalho Carlos Lupi, de deputados, de vereadores e até de dirigentes de outros partidos – além das principais lideranças do PDT cearense, entre elas o presidente local, André Figueiredo, e do deputado estadual Heitor Férrer, também postulante ao cargo de prefeito.

 

O evento contou com discursos calorosos no reduzido espaço da sede do PDT, onde as pessoas se espremiam para participar. Patrícia chegou acompanhada do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi; e do presidente estadual, André Figueiredo. Entre os presentes estavam os tucanos Tânia Gurgel e Francini Guedes: “Vim aqui desejar boa sorte (a Patrícia”, disse Tânia, presidente municipal do PSDB. O vice-prefeito de Fortaleza e ex-correligionário da senadora, Carlos Verenanda (PSB), foi outro presente, garantindo que não há desconforto no partido com a saída de Patrícia: “A senadora fez sua escolha”.

 

Patrícia discursou de cima de uma cadeira, rodeada de membros do partido, falando de sua decisão de disputar a prefeitura de Fortaleza. A senadora disse que se sentia feliz em ingressar no PDT e fez questão de enfatizar que estava entrando para agregar. Quanto à possibilidade de ser candidata no próximo ano, não negou a pretensão, mas lembrou a existência de um compromisso com o deputado Férrer no sentido de que no momento apropriado, quem estiver em melhores condições será o candidato.

 

Ao se referir a Fortaleza, comparou a cidade a uma criança que precisa de colo, precisa ser cuidada, mas também precisa ter limites, ter leis e obras grandes de infra-estrutura. Sobre o PSB, disse que saía do partido sem mágoas e sem ressentimentos e entendia a posição do governador Cid Gomes (PSB) de apoiar a atual prefeita Luiziane Lins (PT), em função de compromissos assumidos.

 

Aos novos companheiros do PDT agradeceu a acolhida e prometeu se empenhar em levar à frente as bandeiras de luta históricas do partido, como a defesa do Trabalhismo, das crianças e da educação. Lupi, saudando a nova filiada, fez questão de destacar que o PDT é um partido de causa, sem donos. Por isso, sentia-se honrado em receber a senadora “que tem se constituído como uma defensora da causa das mulheres, das crianças e da educação”. Disse que a senadora, na verdade, estava retornando ao PDT porque as causas que defende sempre foram causas históricas do PDT.

 

Outros pedetistas saudaram a senadora, entre eles André Figueiredo, presidente estadual do partido. Ele lembrou que em 2002 o PDT ajudou a eleger Patrícia indicando o seu suplente, Flávio Torres, presidente de honra do PDT cearense. Outros saudaram a senadora por suas qualidades pessoais e como parlamentar. Férrer, por sua vez, saudou Patrícia argumentando que ela chegava para somar e contribuir para o crescimento do partido no Ceará.

 
A Senadora Patricia Saboya, eleita pelo PSB e ex-mulher de Ciro Gomes, filiou-se na sede do PDT de Fortaleza – na rua Floriano Peixoto 1717, no Centro. Patrícia já foi deputada estadual e vereadora na capital cearense – e é antiga combatente da causa contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. Primeira mulher eleita para representar o Ceará no Senado Federal, Patrícia Saboya Gomes iniciou sua vida pública militando no Movimento Estudantil.

Antes de assumir o mandato de Senadora, em 2003, representou o povo de Fortaleza na Câmara de Vereadores (1997/1998) e, posteriormente, ocupou o cargo de Deputada Estadual (1999/2002). Patrícia Saboya foi a vereadora mais votada da capital cearense nas eleições de 1996. Durante sua passagem pelo parlamento municipal, integrou a Comissão de Educação, Cultura e Desporto e exerceu a presidência da Comissão de Orçamento, Finanças e Fiscalização.
 

Na Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, foi líder da bancada do PPS durante todo o seu mandato e participou de diversas comissões permanentes e temporárias. A sua mais valiosa herança foi a criação, em 2001, da Frente Parlamentar pela Infância, até hoje uma das mais atuantes da Assembléia. No Senado tem por desafio continuar o trabalho em defesa da redução da pobreza e das desigualdades sociais.

 

Desde o início de seu mandato como senadora, Patrícia Saboya atua com bastante dinamismo. Foi vice-líder do governo Lula no Senado entre 2003 e início de 2006 e é coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente. Em 2007, assumiu novos desafios, entre eles a presidência da Comissão de Assuntos Sociais (CAS). É ainda integrante titular das Comissões de Direitos Humanos e Desenvolvimento Regional. 

Além disso, de junho de 2003 a julho de 2004, Patrícia Saboya presidiu a CPMI destinada a investigar as redes de exploração sexual de crianças e adolescentes.



fontes: www.opovo.com.br/http://diariodonordeste.globo.com/; e página da senadora