André Figuereido registra candidatura com apoio do PT e da Rede

Ascom André Figueiredo01/02/2017

União representa militância dos partidos manifestada nas ruas e nas redes sociais. Ascom André Figueredo

“Fechamos com aquele que tem reais condições de ir ao segundo turno e sempre manteve uma atuação coerente a favor do povo brasileiro. Sabemos que será um parceiro nosso para barrar os ataques que estão por vir contra os trabalhadores”, com essas palavras o líder da Rede, Alessandro Molon (REDE-RJ), definiu nesta quarta-feira (01) o apoio da sigla à candidatura de André Figueiredo (PDT- CE) para a Presidência da Câmara dos Deputados, que já conta com o apoio da bancada do Partido dos Trabalhadores.

Molon, Aliel Machado (REDE-PR), o líder do PT, Carlos Zarattini (PT-SP), Patrus Ananias (PT-MG), o líder do PDT, Weverton Rocha (PDT-MA), e os companheiros de bancada Leônidas Cristino (PDT-CE) e Afonso Motta (PDT-RS) acompanharam o registro da candidatura de, André demonstrando a união que era o desejo da militância dos partidos que têm se manifestado dessa forma nas ruas e nas redes sociais.

“Para nós tem um simbolismo muito forte. PDT, PT e REDE são alternativas para o Brasil que se consolidam também como uma alternativa no Parlamento brasileiro para resgatar a altivez e o protagonismo do Poder Legislativo na definição de sua própria pauta”, afirmou André Figueiredo.

O PT fechou questão em torno da candidatura do pedetista nessa terça (31), decisão que abriu espaço para que partidos progressistas e de centro-esquerda passassem  a apoiar Figueiredo. Eleição é nesta quinta (02/02) e prevê até dois turnos.

O PDT atualmente tem 21 deputados, o PT 58 e a Rede quatro. Caso os demais partidos confirmem apoio a André,  PSOL e PCdoB, o pedetista pode, no primeiro turno, chegar a 101 votos.

Nessa segunda (30), André já havia dado entrada no STF em um documento onde pedia que a candidatura de Rodrigo Maia fosse barrada, baseado no Regimento Interno da Casa.