Prefeitura mantém interesse no Centro de Saúde do Trabalhador



O prefeito de Passo Fundo(RS) Airton Dipp afirmou sexta-feira(21/09) que o município mantém o interesse em contar com um Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador, numa parceria com os governos estadual e federal. Entretanto, o projeto só não está em desenvolvimento, porque o Estado não cumpriu sua parte em um acordo assinado ainda em outubro do ano passado, quando seria responsável pela construção do prédio.

Pelo termo de compromisso, assinado pelo prefeito Dipp e encaminhado ao secretário de Saúde do Estado, Osmar Terra, em 10/10/2006, o município se coloca à disposição para participar do centro, desde que o governo estadual construísse o prédio e o governo federal repassasse parte da verba para a manutenção do local. A prefeitura destinou uma área para a construção, próxima ao antigo quartel do Exército, o Ministério da Saúde ficou de destinar R$ 50 mil para o início do projeto, mais R$ 30 mil para as despesas mensais, mas até hoje o governo estadual não cumpriu sua parte, assegurou o chefe do Executivo. 

Por falta dessa contrapartida do Estado, é que até hoje o projeto não saiu do papel, embora o município reforce sua disposição em participar desse centro, que é de suma importância para a reabilitação de trabalhadores acometidos por certas doenças, completou o secretário municipal de Saúde, Alberi Grando. Conforme Grando, ele mesmo participou da elaboração do projeto e é favorável ao centro, mas, infelizmente, o Estado não cumpriu sua parte. Grando rebateu afirmações que estão circulando na cidade de que a prefeitura não quer o centro de saúde. Reafirmou que o termo de compromisso foi assinado há quase um ano e que o centro só não existe porque o governo estadual não bancou a obra. “As pessoas que pensam em pressionar a prefeitura para a construção do centro, tem que mudar seu foco e pressionar, isso sim, o governo estadual”, garantiu o secretário. 

Conforme Grando, alguns equipamentos até chegaram a ser enviados a Passo Fundo pelo Ministério da Saúde e como o centro não foi construído, eles estão sendo utilizados pela secretaria de Saúde em benefício de toda a população, pois não poderiam ficar parados. “Nós aceitamos negociar com as partes envolvidas, para fazermos funcionar esse centro, que hoje já existem em outros municípios e atendem muito bem os trabalhadores, mas repetimos, que ele só não foi construído ainda em Passo Fundo por falta de verba do governo do Estado”, concluiu Alberi Grando.