PDT nega recebimento de Caixa 2 em apoio à reeleição de Dilma

PDT Nacional03/03/2017

Desde a noite de quinta-feira (02/03) , circula pela imprensa suposto trecho de delação premiada de um ex-executivo da Odebrecht, onde ele teria dito que o PDT teria recebido R$ 4 milhões para, supostamente, apoiar a chapa da então presidenta Dilma à reeleição de 2014. Diante destes fatos, ontem o presidente Nacional do partido, Carlos Lupi, redigiu nota negando tais afirmativas.

É importante esclarecer que o delator teria dito que os pagamentos foram feitos entre os meses de agosto e setembro de 2014. Por si só, esta afirmativa já cai por terra ao remontar o ano de 2014. Em abril, de acordo com matéria publicada aqui pelo site de notícias UOL, Lupi já sinalizava apoio à reeleição de Dilma. Fato que seria confirmado em 10 de junho daquele ano, durante convenção na sede nacional do PDT – que contou inclusive com a participação da então candidata Dilma Rousseff. Meses antes do suposto pagamento de caixa 2.

Em 10 de junho, é importante frisar também, após a convenção, o PDT se tornou o primeiro partido a apoiar formalmente à reeleição de Dilma – antes mesmo do PT.

Conforme já adiantado ontem, em nota, por Lupi, o partido já acionou seu Departamento Jurídico e irá tomar todas as medidas possíveis contra o ex-executivo da construtora pelas afirmativas falsas prestadas em juízo. O PDT informa que ônus da prova cabe ao acusador.

 

Veja a nota assinada por Lupi:

“Em primeiro lugar é importante esclarecer que o ônus da prova cabe ao acusador;

O PDT foi o primeiro partido político que declarou oficialmente apoio à chapa de Dilma Rousseff. Foi no dia 10 de junho de 2014, quando a então candidata Dilma Rousseff foi ao partido em ato público amplamente divulgado pela imprensa. Isso já comprova, diante das datas apresentadas pelo delator, que o anúncio aconteceu meses antes do suposto pagamento.

O PDT irá agir no âmbito da Justiça e tomar as medidas necessárias para que o delator comprove o que afirmou. Para nós está clara a tentativa de ganhar algum tipo de benefício contra seus crimes, inventando calúnias contra o PDT”.