PDT Diversidade estabelece diretrizes e ações e estrutura o Movimento

Elizângela Isaque

PDT DiversidadeO PDT Diversidade deu mais um importante passo rumo à sua estruturação durante assembleia da Executiva Nacional do movimento, realizada nessa quinta (23) e hoje, sexta-feira (24), na sede nacional do PDT, em Brasília. As definições foram discutidas entre os presidentes estaduais do movimento e o secretário adjunto do partido, André Menegotto, representante da Executiva Nacional da legenda.

No primeiro dia, foram tratadas as questões relacionadas às diretrizes em prol do fortalecimento, da legitimidade e do crescimento das agendas importantes para a consolidação de novas Executivas Estaduais e Municipais. Dentre as ações prioritárias, destaca-se a realização do I Congresso Nacional do PDT Diversidade.

A presidente Nacional do PDT Diversidade, Amanda Anderson, pontuou a importância de se ouvir as palavras dos membros da Executiva do Movimento quanto às demandas, necessidades e sedimentação do próprio grupo, uma vez que todos reivindicam uma profissionalização imediata de sua Executiva.

A importância de se profissionalizar os quadros é justificada pela necessidade da realização de uma interlocução política e social eficaz na construção de diálogos e execução de trabalhos efetivos para o “desenvolvimento de ações elementares para a sobrevida cotidiana do próprio Movimento”.

Nesse sentido, André Menegotto, comprometeu-se a agilizar não só a requerida profissionalização, como a estrutura para a abertura dos trabalhos e a ampliação da relação institucional do PDT Diversidade nos estados junto às Executivas Estaduais.

Eleições
No segundo dia, foi estabelecida a criação de um calendário de realização dos congressos municipais e estaduais, no período que vai de quinze de outubro a 15 de dezembro deste ano, segundo aprovação da Comissão de Elaboração de Tese e Proposta de Governo para as eleições de 2018.

Ato Público

Outro ponto levantado na assembleia foi a necessidade de um acompanhamento junto ao secretário adjunto Menegotto e ao secretário nacional do PDT, Manoel Dias, quanto a celeridade do processo judicial que o PDT impetrará, no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Corte Internacional, pela criminalização da homofobia. Simultaneamente à entrega da referida ação, será realizado um ato-manifesto em frente ao shopping Conjunto Nacional, em Brasília, com a fixação de cruzes e fitas simbolizando os assassinatos LGBTs ocorridos entre o ano 2000 e a data do ato.

“O ato significa, na prática, a omissão deliberada, o descalabro e a morosidade do Congresso Nacional, face ao genocídio da população LGBT do país”, justifica o PDT Diversidade.