Osmar sugere investimentos na produção para fazer frente à crise econômica munidal

Líder do PDT defende mais crédito ao setor produtivo e para a exportação para a manutenção do equilíbrio da Balança Comercial

O líder do PDT no Senado Federal, Osmar Dias, defende que o Brasil invista mais na produção para fazer frente à crise econômica mundial. Nesta segunda-feira, 6, o senador paranaense antecipou no plenário a posição que irá defender junto ao presidente Lula na reunião de líderes em que será tratada a crise financeira internacional. “Na reunião com o Presidente será feita uma avaliação das medidas que o governo brasileiro adotou e que deve adotar para amenizar os efeitos da crise na economia brasileira. Defendo que o governo tome medidas ousadas, investindo mais no setor produtivo para cobrir os custos com insumos e também ampliar o crédito para a exportação, para que não corramos o risco de perder os mercados que já conquistamos”, afirmou Osmar. O líder pedetista
ressaltou que o custo dos insumos agrícolas dobrou e que é necessário aumentar os investimentos para elevar a produção. “O governo brasileiro, que possui reservas cambiais num nível bastante elevado, deve adotar agora medidas ousadas. Não dá para plantar a safra que o governo quer com o crédito que foi divulgado. O valor do crédito é baixo, os recursos já estão em falta para pagamento de insumos. Há casos em que o preço dobrou do ano passado para cá de algumas fórmulas de fertilizantes. O valor do crédito vai crescer 12%. Só que o valor do custo de produção vai crescer, em alguns casos, 100%. A primeira medida que o governo deveria adotar para combater a crise é produzir mais. E, para produzir mais, o governo tem que rever os seus valores,
principalmente em relação ao crédito rural de custeio, de investimento”, observou. 

O senador alertou ainda sobre a possibilidade da redução do crédito para investimento na produção. “Se isso acontecer, a modernização que vinha ocorrendo vai ser interrompida. A agricultura teve, nos últimos anos, um ganho de produtividade, avançou, especialmente incorporando novas tecnologias que resultaram num aumento substancial da produtividade. Com isso, a produção brasileira alcançou 144 milhões de toneladas no ano, o que é um recorde de produção, em cima praticamente da mesma área plantada na média dos últimos três anos. Só para custeio, seriam necessários mais R$ 8 bilhões para manter o nível de tecnologia e a produção em alta”, completou Osmar Dias. 
Exportações
Osmar salientou que alta do dólar, da ordem de 6,7%, e a queda nas bolsas de valores trazem conseqüências às importações, exportações e, a curto prazo, na produção, tanto no nível primário, como na indústria e na geração de empregos. Na opinião do parlamentar pedetista, é necessário também aumentar o crédito para a exportação do setor industrial. “Temos que ampliar os mercados em vez de reduzi-los neste momento de crise. Para que o governo brasileiro mantenha a balança comercial com saldo positivo deve manter ou ampliar o crédito para a exportação para não correr o risco de perder os mercados já conquistados”, observou. Para o líder do PDT no Senado, o maior investimento no setor produtivo irá reduzir o impacto da crise, já que as previsões de crescimento do Brasil para ano já foram revistas, para baixo. “Para o ano que vem houve uma previsão já bastante otimista até de 3,5%, porque alguns já consideram que será
impossível alcançar 3,5%. Com este índice não se gera os empregos necessários para colocar no mercado os cerca de 2 milhões de jovens que ingressam todos os anos, como também para manter o atual nível de emprego e, principalmente, registrar mais gente em carteira de trabalho, que é o grande desafio que temos que enfrentar em nosso País”, finalizou Osmar Dias.