O Golpe é nosso, o Pré-sal é vosso

Hari Alexandre Brust

Bandeira Estados Unidos - Pré-salEssa declaração, presumivelmente, deve ter sido feita pelo Presidente Temer, ao receber o presidente da multinacional SHELL Ben van Beurden. 

Esse encontro, “casual”, ocorreu dia 27 de setembro último, logo depois do presidente Pedro Parente da Petrobrás, entregar ao presidente golpista, o plano de investimento para 2017/2021 e defender a liberação da Petrobrás da obrigação na exploração da camada PRÉ-SAL, beneficiando as multinacionais.

Deve ter sido uma visita de cortesia e de agradecimento pelo presente neoliberal.

Há 63 anos nasceu a Petrobrás, através da Lei 2004, de 03 de outubro de 1953, filha legítima de brasileiros corajosos que defenderam a sua criação, empunhando a bandeira nacionalista do “petróleo é nosso” sob a proteção do seu criador o Presidente Getúlio Vargas.

Há 10 anos, no dia 7 de setembro de 2006, o Presidente Lula, numa clara alusão a nova independência do Brasil, agora no campo da energia e da economia, anunciou aos brasileiros e ao mundo a descoberta das reservas gigantescas de petróleo na camada pré-sal do campo de Tupi, na bacia de Santos.

Esse anuncio sinalizou aos entreguistas de plantão que, ao contrário das concessões realizadas com a quebra do monopólio da Petrobrás, pela Lei 9.478, de 1997, no governo FHC, os dividendos auferidos na exploração e produção do PRÉ-SAL, deveriam ser direcionados, prioritariamente, para uma revolução pela educação, única forma de atingirmos a verdadeira independência.

Para Brizola “a educação é o único caminho para emancipar o homem. Desenvolvimento sem educação é criação de riqueza apenas para alguns privilegiados. É fazer os ricos mais ricos e poderosos e os pobres mais dependentes. É necessário que o povo participe dos lucros sociais do desenvolvimento”.

Ledo engano. Eis que os entreguistas neoliberais, representantes no Brasil das multi e transacionais, os mesmos que “suicidaram” o Presidente Vargas, em 1954 e que quebraram o monopólio da Petrobrás, em 1997, agora, através de um golpe parlamentar, voltam-se novamente contra o povo e derrubam a última fronteira da nossa independência econômica, através dos projetos PL-131/2015 e PL-4567/2016 do senador entreguista José Serra, que altera a lei do Pré-sal, desobrigando a Petrobrás da condição de única operadora, o passaporte para entrada do capital espoliativo.

Nesse contexto o nosso pré-sal será dos donos do insaciável capital alienígena, que não se contentou apenas com parte do nosso petróleo, vieram agora cobrar a conta da participação no golpe, vieram cobrar a cota parte do pré-sal.

Assim como “suicidaram” o criador da Petrobrás, não cessarão enquanto não matarem a criatura, pois essa é a lei da selva capitalista, essa é a sina dos colonizados.

 

* Hari Alexandre Brust é secretário-geral do PDT-BA