O Ciro Gomes é um subversivo

Henrique Mattisen O Ciro Gomes é um subversivo28/03/2017

A roda da história gira. Muitas vezes para trás, mas algumas coisas não se alteram, não mudam, não se transformam, e não se modificam. Uma delas é a hipocrisia. Este fingimento dissimulado de parte de nossas elites, doença atávica e incurável das capitanias hereditárias.

Incultos políticos cultivam a superficialidade “elegante” nos meios esnobes de seus círculos e, deformam conceitos e vivem de chavões. Rezaram ardentemente contra o “comunista” João Goulart, mas não tiveram a menor compaixão com os porões do DOI-CODI, e com as barbaridades cometidas pelo regime dos generais.

Para eles, essa gente é subversiva e perigosa.

Bateram panelas contra Dilma Rousseff, mas, hoje, não se escandalizam contra a quadrilha do PMDB e seus apêndices tucanos no desmonte dos direitos trabalhistas, previdenciários, com o ataque à Constituição, e a roubalheira desses partidos.

Ciro Gomes, cujo currículo de serviços prestados à sociedade brasileira, é incontestável com ampla aprovação. Sofre do mal da “des-hipocrisia”, ou seja, um verdadeiro subversivo aos olhos de madames e cavaleiros parasitas pátrios e histéricos.

Ressalta-se que, o argumento dos acéfalos de conceitos políticos, como no caso dos Delegados e Juízes e autoridades do Regime ditatorial no Brasil de (1964 -1985) era que o “acusado” era subversivo, portanto tinha que ser torturado, morto, preso.

Subversivo expressa o conceito de transformação de idéias e valores, muitas vezes de mudanças revolucionárias e profundas.

Em tempos de governo ilegítimo, de golpe, temos que ser subversivos mesmo, e Ciro Gomes cumpre esse papel de “dês-hipocrisar” a política.

Suas posições são de enfrentamento perante um estado capitulado por gangsteres que exercem a política em proveito próprio, defendendo interesses ilegítimos, de deformidades éticas e morais.

Os chocados e horrorizados com as declarações de Ciro Gomes são incapazes de apontar algum processo ou condenação dele; não que isso seja mérito, mas obrigação.

Ao contrário, compactuam com os maiores bandidos do país.

Ciro representa sim o rompimento à mudança de uma política viciada, hipócrita e de submissão aos capitães hereditários.

Poucos podem colocar o dedo nos carcinomas de nossa sociedade como Ciro Gomes.

É preciso romper com essa tragédia política que vivemos.

Até porque uma das melhores qualidades de Ciro Gomes é não ser hipócrita, e ser subversivo em tempos de golpe.

 

*Henrique Matthiesen é bacharel em direito e atua como professor e conteudista  na Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLP-AP).