Mostra fográfica termina no Maranhão

    

Por Benedito Maria Teixeira

 

A tournée nacional da exposição “Um brasileiro chamado Brizola” terminou na noite desta quinta-feira (12/7) no Memorial Maria Aragão, em São Luís (MA), com uma homenagem ao jornalista maranhense Neiva Moreira, amigo de Brizola e um dos fundadores do PDT, na presença do governador Jackson Lago, de sua mulher, do próprio Neiva, do secretário nacional do PDT, Manoel Dias, e de várias autoridades estaduais e municipais – entre elas a Vice-Prefeita de São Luis, Sandra Torres, e o Secretário de Igualdade Racial do Maranhão, João Francisco.

 

Falando pela Direção Nacional do PDT, Manoel Dias, destacou a importância de Brizola no cenário político nacional, dos entraves que sofreu em toda a sua vida política e em especial quando governou o Rio de Janeiro – enfrentando as Organizações Globo e os interesses da grande mídia. “Nossa obrigação e responsabilidade é continuar a luta trabalhista, mesmo sem Brizola”, destacou Dias.

 

“Quando vivo, Leonel Brizola foi muito questionado pelas elites e pelos grandes órgãos de comunicação. Mas agora, mais do que nunca, afloram as suas virtudes e as suas obras. Brizola amava o povo trabalhador, amava o Brasil e toda a sua vida foi marcada por atos de coragem. Ele tinha perfeita noção do que era uma pátria justa e democrática”, afirmou Manoel Dias que representou o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

 

Ao falar do governador Jackson Lago, Manoel Dias o comparou a Brizola. “A tentativa da oligarquia Sarney de desestabilizar o governo que vai mudar a cara do Maranhão é um sinal claro de que essa gente ainda não entendeu a grande missão de Jackson Lago”, pontuou. Referindo-se ao jornalista Neiva Moreira, destacou a sua biografia de homem de esquerda, jornalista combativo, fundador do PDT e ex-deputado.

 

“Neiva Moreira construiu sua vida nas lutas pela liberdade, pela democracia e pelo exercício da cidadania plena, não só no Brasil – mas em vários países da América Latina, da África e do Oriente Médio onde foi obrigado a viver quando esteve no exílio”. Ao encerrar, o Secretário-Geral do PDT falou da importância do Maranhão no cenário nacional  e reiterou seu apoio incondicional ao governador pedetista: “O PDT conhece e confia em Jackson Lago”, finalizou Dias.


Na foto, Neiva Moreira (à direita), Ney Silveira (organizador da exposição) e amigos 


Para a Vice-Prefeita de São Luís, Sandra Torres, a exposição – que começou em Porto Alegre, passou por Campinas, Rio de Janeiro e Salvador – “foi oportunidade ímpar da juventude conhecer a história de um brasileiro que tinha como principal característica a coragem”. Sandra acrescentou: “Esperamos que os jovens, ao conhecerem a história de Brizola, possam imitá-lo especialmente na coragem”.

 

O Governado Jackson Lago disse que o momento o inspirava com o exemplo de grandes brasileiros, como Leonel Brizola, “que sempre nos deu energia e força devido a solidez de sua opção política”.  Referindo-se as recentes acusações que sofreu no governo estadual, disse que ninguém poderia ter ilusão de que o grupo Sarney aceitaria a derrota. “Eles estão atuando em todas as áreas tentando nos derrubar”, denunciou.

 

Quanto ao futuro, afirmou que “ninguém vai nos impedir de fazer o grande governo que o Maranhão precisa e espera de nós”.  Disse também o exemplo de luta por um Brasil para os brasileiros, deixado por Brizola, “paira como uma luz permanente para toda nossa geração que teve o privilégio de participar de sua vida e partilhar de seus ideais”.

 

A mostra itinerante, com textos e fotografias, esteve aberta à visitação até a quinta-feira no Memorial Maria Aragão, projetado por Oscar Niemeyer. A exposição retratou a vida de um dos maiores ícones da política brasileira, Leonel Brizola, e no encerramento também foi exibido o vídeo “Tempos de Luta” – com imagens e declarações marcantes de Brizola.  A exposição retrata obras, amigos, correligionários, a vida ao lado de sua esposa Neusa Brizola, as frases de efeito e os discursos contundentes de Brizola. Mostra também um pouco de sua vida no exílio. Sobre o exílio, Brizola disse: “No princípio pode parecer algo romântico, idealista. Mas depois vai se tornando uma amargura grande e dolorosa. Você não é turista, não é estudante, é um apátrida”, relatou.

 

O governador Jackson Lago e sua mulher, Clay Lago, passearam entre as telas expostas e rememoraram momentos vividos com Brizola, como amigos e partidários. “Brizola continuará firme na memória de todos os que receberam as suas lições e seguiram os seus exemplos”, frisou Jackson Lago, ressaltando ainda a importância de Neiva Moreira na construção da ideologia trabalhista. “Brizola e Neiva sempre estiveram juntos na luta por um Brasil melhor e juntos, incluindo-se nesse grupo também muitos companheiros aqui presentes, construímos esse partido que é um instrumento de luta do povo brasileiro”.

 

(com Secom-MA/ Fotos Gilson Teixeira)