Missas lembram aniversário de Brizola

Em Brasília  foi celebrada uma missa em homenagem a memória de Leonel Brizola que faria 87 anos no dia 22 de janeiro. A cerimônia contou com a presença do ministro do Trablaho, Carlos Lupi, do presidente nacional da legenda e líder da bancada na Câmara, Vieira da Cunha, do senador Critovam Buarque, dos deputados Brizola Neto, Sérgio Brito, Michel Temer, entre outras autoridades, além de membros da juventude Socilaista do PDT,  militantes, simpatizantes. O grande líder também foi homenageado no Rio de Janeiro.

Cerimônia reuniu autoridades, amigos e familiares na Catedral de Brasília
 
 
O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, presidente nacional licenciado do PDT, participou na manhã desta quinta-feira (22/1) de missa em homenagem aos 87 anos de nascimento de Leonel de Moura Brizola. A cerimônia aconteceu na Catedral Metropolitana de Brasília, às 9h, e reuniu autoridades políticas como o senador Cristovam Buarque, os deputados Michel Temer e Vieira da Cunha e, representando a família, o deputado Brizola Neto.
 
Militantes do Partido Democrático Trabalhista (PDT) também estiveram presentes. Em memória ao ex-político e breve em seu discurso, Lupi citou sua convivência com Brizola e falou da sua dimensão não somente como político, mas como cidadão brasileiro. “Ele era um patriota que amava a terra em que vivia”, finalizou.
 
Na ocasião da morte de Brizola, em 2004, Lupi assumiu a presidência do PDT e, posteriormente, em convenção nacional do partido, foi confirmado no cargo. Lupi se licenciou para ocupar o Ministério do Trabalho e Emprego, sendo substituído pelo deputado Vieira da Cunha – presidente em exercício.
 
O padre lembrou a origem humilde do político e da trajetória desse brasileiro que dedicou sua vida em defesa da educação e dos trabalhadores. Ressaltou sua contribuição para o Brasil e convidou os presentes a um momento de reflexão para uma prece saudosa pela alma de Brizola.
 
Homenagens também foram realizadas na Bahia, onde realizou-se sessão especial na sede do partido do documentário “Tempos de Luta”, no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro, onde também foi rezada missa na Igreja de São José e, à noite, na sede nacional da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini, se realizou palestra sobre Brizola a cargo do ex-líder do Governo Goulart na Câmara Federal, Ney Ortiz Borges – evento organizado pelo Movimento dos Aposentados e Pensionistas (Mapi), pela seção fluminense da Fundação Brizola – Pasqualini e pela direção do PDT-RJ.
 
O auditório lotou na palestra e a emoção esteve presente em todo o evento, sob o comando da presidente do Mapi, Maria José Latgé, e pelo presidente em exercício do PDT-RJ, José Bonifácio.
 
O secretário-geral do PDT-RJ, Carlos Correa, que acumula com a vice-prefeitura de São João do Meriti o cargo de Secretário municipal de Educação, também em celebração da data, anunciou a transformação para horário integral das escolas da rede pública municipal. O secretário de Educação de S. João também anunciou decisão do município de assumir integralmente o funcionamento dos quatro CIEPs instalados em São João ainda no segundo governo de Brizola.
 
 
Nascido na década de 20, em Carazinho (RS), Brizola foi um dos políticos mais populares do país. Entrou na política em 1945 e teve seu primeiro mandato federal, em Porto Alegre, onde também foi prefeito. Foi presidente da Ala Moça do Partido Trabalhista Brasileiro e governador do Rio Grande do Sul. Como governante no sul construiu mais de 6 mil escolas e mais de 500 Cieps, considerados os melhores centros de ensino do Brasil. No Rio de Janeiro foi governador por duas vezes. Em 1964 teve os direitos políticos cassados, foi exilado com o golpe militar e voltou ao Brasil em 1979. Brizola morreu aos 82 anos, no Rio de Janeiro.
 
Leia mais sobre Leonel Brizola

 No Rio, missa e palestra.