Lupi: "É hora de acreditar no Brasil"

“É hora de acreditar no Brasil e não de demitir porque a crise é fruto do egoísmo do sistema financeiro internacional e não pode ser paga pelos trabalhadores”, afirmou o Ministro Carlos Lupi, do Trabalho, discursando para 1,5 milhão de pessoas na festa do 1º de Maio organizada pela Força Sindical no campo de Bagatelle, em São Paulo, ao criticar setores  – as  indústrias automobilística e aeronáutica – por promoverem demissões tão logo a crise chegou ao Brasil.

No 1º de Maio, além de pronunciamento em rede nacional de televisão no lugar do presidente Lula, Lupi falou diretamente com os trabalhadores em pelo menos dois grandes eventos que reuniram centenas de milhares de trabalhadores, o da Força Sindical em São Paulo, e o do próprio Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com apoio das secretarias municipal e estadual de Trabalho, na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro.  (Foto do show na Quinta, no RJ)

A festa na Quinta da Boa Vista, que reuniu este ano mais de 100 mil pessoas ao longo do dia e teve como ponto alto grande show de música popular a cargo de Beth Carvalho e seus convidados – Dona Ivone de Lara, Monarco, Diogo Nogueira, Arlindo Cruz e Dominguinhos do Estácio;  também foi palco da entrega da Medalha Getúlio Vargas, a mais alta condecoração do MTE, a cantora Beth Carvalho – homenagem compartilhada com os presidentes de seis das centrais sindicais do país: CUT, Força Sindical, CGTB, NCST, UGT e CTTB.

Em São Paulo, antes de falar à multidão, em entrevista, Lupi declarou: “Não pode haver oportunismo na crise, não adianta alguns quererem se aproveitar para ganhar dinheiro porque ninguém consegue vencer achando que não vai dar certo”. Ao reiterar que o Brasil será um dos primeiros países do mundo a sair da crise, argumentou que tudo leva a crer que já agora em abril a criação de empregos formais deve zerar as mais de 100 mil vagas fechadas em janeiro.

“ A melhoria já pode ser notada em vários setores, o que puxa a geração de empregos com carteira assinada”, assinalou, acrescentando que a redução dos juros também tem contribuído para a melhoria geral da economia. “Hoje até o Meirelles (Henrique Meirelles, presidente do Banco Central) defende a queda dos juros – o que é uma grande evolução”, comentou.

Lupi confirmou que o governo analisa novas medidas de incentivo a setores da economia com maior dificuldade de reagir, como os frigoríficos que produzem carne bovina e de frango. No dia anterior, no Rio, ao inaugurar a página do FGTS na internet – onde trabalhadores e empresários poderão recolher todas as informações que necessitarem sobre o fundo, aumentando a transparência –  Lupi revelou que o governo federal estuda a ampliação da parcela que os trabalhadores poderão utilizar no fundo de investimento do FGTS, o FI-FGTS,  de 10% para 30%. (Na foto à direita, o palco montado na Quinta da Boa Vista)

 “O projeto será definido pelo Conselho Curador do FGTS em sua próxima reunião (dia 19/5) e vai ser apresentado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva até o fim do mês”, explicou.  O projeto permitirá que cada trabalhador se torne cotista do FI-FGTS, recebendo remuneração de pelo menos 6% ao ano mais TR, já que pelas regras atuais do FGTS, o rendimento é de apenas 3% ao não, mais TR, que em abril último rendeu 0,4%.