Lupi afirma durante reunião que candidatura de Ciro é irreversível

Max Monjardim e Elizângela Isaque

Lupi afirma, em reunião da Executiva, que candidatura de Ciro é irreversívelEm reunião realizada nesta terça-feira (22), a Executiva Nacional ampliada do PDT fez um balanço das eleições municipais deste ano e discutiu a organização do partido para o pleito de 2018. Com foco na candidatura de Ciro Gomes para a Presidência da República, o presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, convocou os dirigentes para que, em seus respectivos estados, se preparem para o maior número possível de candidaturas majoritárias.

A reunião contou também com todos os presidentes regionais do partido, que um a um, apresentaram um panorama dos seus estados. Lupi, em sua fala inicial, comemorou os números obtidos pelo PDT – que elegeu 335 prefeitos e mais de 3,5 mil vereadores.

“Estamos consolidados como o maior partido de centro-esquerda do Brasil. A candidatura de Ciro à presidência da República é irreversível e, agora, temos que nos fortalecer nos estados para levar o nosso discurso. Temos que mostrar ao povo que Ciro, de fato, é o mais preparado para se tornar presidente do Brasil”, afirmou Lupi.

Ciro Gomes atacou as últimas decisões do atual Governo, afirmando que ele não possui legitimidade e que o Brasil precisa urgentemente “voltar à normalidade democrática”.

“Estamos vivendo um momento confuso na ordem política brasileira. O Governo que está entregando nossas riquezas, como o pré-sal, retirando direitos garantidos dos mais necessitados, acabando com investimentos em saúde e educação, não foi legitimado pelo povo. Precisamos retomar a ordem democrática imediatamente”, afirmou.

Lupi também enfatizou a importância da prestação de contas anual do partido, que, como ele destacou, deve atender às determinações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para isso, ele destacou que todos serão devidamente orientados pela direção do partido.

Quanto à organização do partido para as eleições 2018, Lupi destacou a importância da formação política dos núcleos de base do PDT, que darão suporte para a organização do partido em todo o País, papel a ser desempenhado pelas unidades da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) de cada estado.

“Temos de organizar o partido para esse momento que o Brasil está enfrentando. Temos de nos modernizar, nos atualizar. O PDT pode se tornar o grande referencial desse País, representando os anseios da centro-esquerda, porque temos história, ideais e um projeto nacionalista para a Nação”, frisou Lupi.

 Para o presidente, o crescimento do PDT na maioria dos estados, em relação ao número de candidatos eleitos, reforça o compromisso da legenda com a sua trajetória política e representa uma força potencial para a candidatura de Ciro à Presidência da República. “Nós temos que amparar o Ciro; não como pessoa, mas como instrumento de uma causa. Temos que ter um projeto de poder”, ressaltou Lupi.