Líderes decidem aprovar reajuste de 7,71% a aposentados


Líderes partidários da Câmara e do Senado decidiram na tarde desta terça-feira, 27, em reunião conjunta na liderança do PDT da Câmara, defender em plenário a aprovação do reajuste de 7,71% para todas as aposentadorias, mesmo com o Governo, sinalizando que o índice não ultrapassará os 6,14%. O percentual de 7.71% foi definido pelas centrais sindicais e entidades dos aposentados. Os deputados discutem a matéria em plenário neste momento. 

“Os partidos de esquerda vão defender os 7,71% para os aposentados. A proposta do Governo de reajustar por este índice apenas os proventos dos aposentados que ganham três salários mínimos não é viável, já que os que recebem mais seriam prejudicados. Esta proposta é impossível de ser colocada em prática”, explicou Dagoberto após a reunião, que foi coordenada pelo parlamentar sul-mato-grossense que é líder do PDT na Câmara dos Deputados. Esta afirmação foi feita porque o líder do Governo na Câmara e relator da matéria, o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), havia proposto aumento escalonado, de 7% para aposentados que ganham entre um e três salários mínimos e de 6,14% para os que recebem acima deste valor. 

Para o vice-presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores, Fernando Anunciação, que esteve presente na reunião, “o deputado Dagoberto conduziu bem as discussões, a proposta é muito positiva aos trabalhadores por recuperar perdas que ocorreram ao longo dos últimos anos”. Anunciação, que é presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso do Sul, também reforçou que “hoje estamos defendendo direitos que são essenciais a todos os trabalhadores”. Da reunião participaram representantes de cinco centrais sindicais e dos aposentados, bem como líderes de partidos da base aliada e da oposição. 

O senador Paulo Paim (PT), que esteve na reunião, disse que os líderes do Senado Federal decidiram que vão aprovar o reajuste de 7,71%. “Não aprovaremos qualquer reajuste que não garanta a reposição da inflação mais 80% da variação do PIB”, afirmou Paim no término da discussão. O índice de 7,71% garante a recuperação do valor das aposentadorias nestes patamares.
A Medida Provisória (MP) 475/09, que trata do reajuste das aposentadorias, concede aumento de 6,14%, mas o Governo, pressionado por partidos aliados, aceitou elevar o índice para 7%, o que corresponde à inflação de 2009 mais dois terços da alta do PIB de 2008.
A matéria está sendo debatida neste momento em plenário.