Leonel Brizola Neto em entrevista

 Leonel Brizola Neto, estreante na Câmara do Rio o fisioterapeuta Leonel Brizola Neto, 33 anos, diz que almoça, janta e toma café da manhã com política desde o berço. Nascido no Hospital Beneficência Portuguesa, em Porto Alegre, viveu os primeiros anos no Uruguai, onde o avô famoso estava exilado. Aos 15 anos, já no Rio, se tornou secretário particular do caudilho Leonel Brizola, então governador do Estado. Surfista nas horas vagas, filiou-se ao PDT e pretende seguir na política com a bandeira do avô, os Cieps, como relata em entrevista concedida ontem a Zero Hora no Rio. 

Zero Hora – O senhor se incomoda quando dizem que só se elegeu por ter o nome do avô?
 
Leonel Brizola Neto – É uma honra. Meus irmãos Juliana (vereadora eleita em Porto Alegre) e Carlos (deputado federal pelo Rio) também pretendem seguir a trilha do vô. Com uma biografia como a dele, só posso me orgulhar. Vou lutar pela volta das escolas de turno integral, os Cieps. 

ZH – O que o senhor pretende fazer para mudar a imagem da Câmara de Vereadores do Rio? 

Leonel Brizola Neto – Um monte de sujeitos só se elegeu porque tem curral eleitoral, bota a vila inteira a votar para ele. Me orgulho de ter votos espalhados pela cidade toda, em nome de uma ideologia. Temos de criar mecanismos para banir a corrupção.