Jorge Magdaleno assume diretoria na Fundacentro

  


Com a perspectiva de dar novo impulso às atividades de pesquisa sobre saúde e segurança do trabalhador e de ampliar a disseminação deste conhecimento para toda a sociedade, tomam posse na próxima terça-feira, dia 13 de novembro de 2007, às 10h, os novos dirigentes da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro). Com a presença do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, terão posse solene, na Presidência, Dr. Jurandir Bóia Rocha, e na Diretoria Executiva, Jorge Paulo Magdaleno Filho.

Órgão vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego, a Fundacentro executa suas atividades em um Centro Técnico Nacional (CTN), na capital paulista, além de atuar em 13 unidades descentralizadas em outras onze capitais e em mais duas no próprio Estado de São Paulo, uma em Campinas e outra na Baixada Santista. O auditório Edson Hatem, onde será realizada a posse solene, está localizado no CTN, à rua Capote Valente nº 710, no bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP).

Com nomeação publicada no dia 24 de outubro, o novo presidente da Fundacentro, o médico Jurandir Bóia sucede Remígio Todeschini, atual diretor de Políticas de Saúde e Segurança Ocupacional do Ministério da Previdência Social. Na mesma data, Jorge Magdaleno, servidor público municipal do Rio de Janeiro, foi nomeado diretor executivo da instituição, no lugar de Osvaldo da Silva Bezerra.

Presidente

Ainda como estudante universitário, Jurandir Bóia fez parte da Diretoria da União Nacional dos Estudantes (UNE) em momento tumultuado, na gestão 1963/64, no período do Governo João Goulart. “Um período muito conturbado, em uma gestão inacabada por uma intervenção da ditadura militar. Já na época, lutávamos por uma universidade pública, de qualidade, livre e gratuita e que pudesse garantir o acesso aos filhos dos trabalhadores”, relembrou o novo presidente da Fundacentro.

Jurandir foi deputado federal pelo Estado de Alagoas na última legislatura e ocupou em duas oportunidades, nos governos de Ronaldo Lessa, no mesmo Estado, as secretarias de Saúde e de Ação Social. No meio acadêmico, o Dr. Jurandir foi professor e diretor da Faculdade de Medicina de Alagoas.

Natural de Maceió (AL), Jurandir Bóia é formado em Medicina pela Universidade Federal de Alagoas e especializado em otorrinolaringologia pelo Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro. Revelando verdadeiro entusiasmo pela sua atividade, clinicou até dias antes de assumir o cargo de presidente da Fundacentro, instituição sobre a qual afirma ter boas referências.

“Exercia minha profissão de médico quando, a convite do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, vim dirigir a Fundacentro”, explicou o Dr. Jurandir. Com boas informações sobre o nível técnico e a qualificação elevada dos servidores, ele se diz ainda mais empolgado para esse novo desafio de sua vida. “Uma nova etapa da minha biografia”, acrescenta entusiasmado, mas consciente de que irá cumprir o papel da instituição, “não de forma isolada, mas de forma conjunta com todos os que fazem essa Fundacentro”.

Ainda segundo o Dr. Jurandir, suas preocupações são consonantes com as ansiedades e sonhos dos funcionários da Fundacentro. “Sabedor das dificuldades a serem enfrentadas pela casa”, o novo presidente garante que terá uma gestão “forte e ampliada, para que a instituição possa, cada vez mais, atender a quem precisa dela”.

“O que for possível será feito, mas o impossível será tentado também”, prometeu o novo presidente. Ele assegura que não haverá desencorajamento diante das dificuldades. “Sou um sertanejo vindo do interior do Brasil, acostumado a viver dificuldades e elas tem que ser superadas. Aqui na Fundacentro, meu trabalho será para exercer a plenitude da Saúde e Segurança do Trabalhador brasileiro”, finalizou Jurandir Bóia.

Diretor-Executivo

Nascido em janeiro de 1971, no Rio de Janeiro (RJ), Jorge Magdaleno tornou-se Bacharel em Ciências Contábeis em 1991 e, já no ano seguinte, foi aprovado em concurso para contador do Previ-Rio – Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro – para avaliar a gestão orçamentária, financeira, patrimonial e operacional da entidade e, com isso, verificar a utilização regular dos recursos públicos.

Em 1995, concluiu Pós-Graduação em Ciências Contábeis – Contabilidade Empresarial e foi nomeado Diretor de Contabilidade do Previ-Rio para supervisionar as atividades de administração financeira e o controle contábil. Presidiu a Associação dos Servidores do mesmo instituto no período de 1999 a 2000.

No período de 2001 a 2005, foi um dos gestores do Previ-Rio, atuando no cargo de Diretor Administração e Finanças, em que pode avançar na busca do bem-estar dos servidores municipais e na garantia de seus direitos.

Especializado então, na área de Previdência Pública, nesses 15 anos como servidor focou sua atuação em regime próprio de Previdência e bem-estar do trabalhador – atividades que começavam a aproximá-lo da Fundacentro.

“A minha formação foi voltada para o bem-estar do trabalhador. E ainda agrego o fato de ser servidor público, conhecer os problemas e os desafios. Com base nisso e valorizando o corpo técnico da Fundacentro, penso que teremos uma química boa e as coisas poderão evoluir e avançar bem mais”, afirmou Magdaleno.