Jackson se reúne com ministros e garante urbanização do Rio Anil


O governador Jackson Lago confirmou nesta quarta-feira em Brasília a inclusão no Plano de Aceleração do Crescimento, o PAC, da obra de urbanização do Rio Anil, em São Luís. Na reunião com a ministra Dilma Rousseff, da Casa Civil da Presidência, foi definido também um programa de saneamento ambiental em algumas regiões da ilha de São Luís.

“Saímos felizes com a certeza da consolidação do Projeto Rio Anil, que terá um grande impacto positivo na vida de milhares de pessoas, além dos avanços obtidos no programa de saneamento”, afirmou o governador.

O projeto inclui saneamento com drenagem superficial e profunda, recuperação ambiental, rede de esgotos e malha viária, beneficiando os bairros da Camboa, Liberdade, Fé em Deus, Alemanha, Apeadouro, Irmãos Coragem e Vila Cristalina.

Nesses bairros reside uma grande quantidade de remanescentes de quilombos. A forte coesão cultural da área (foram mapeados 53 organizações culturais atuantes) faz do Rio Anil um projeto inovador, já que vai contemplar as particularidades étnicas da população, inclusive na definição de equipamentos públicos a serem construídos.

Participaram da reunião o ministro das Cidades, Márcio Fortes, o secretário de Planejamento, Abdelaziz Santos, a secretária de Cidades, Desenvolvimento Regional Sustentável e Infra-estrutura, Telma Pinheiro, o presidente da Caema, Rubem Brito e os deputados federais Ribamar Alves, Julião Amin e Domingos Dutra.

Trabalho – A ampliação da oferta de qualificação profissional para o Maranhão foi um dos principais temas da audiência do governador Jackson Lago com o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. “O Maranhão terá toda a atenção do ministério. É um estado com graves problemas estruturais que agora tem um governo que está priorizando a qualificação de sua mão-de-obra”, assegurou o ministro.

Para o governador, a consolidação da parceria entre o ministério e o governo do estado é fundamental para o Maranhão atingir suas metas nessa área. “Estamos confiantes de que vamos desenvolver um trabalho em sintonia e, assim, poder pleitear mais recursos e maior cobertura dos programas do ministério”, afirmou Jackson.

De acordo com os dados da Secretaria Estadual do Trabalho e Economia Solidária, o Maranhão tem uma demanda mapeada de 50 mil pessoas (dados de janeiro de 2007) necessitando de qualificação profissional para entrar ou se recolocar no mercado formal de trabalho.

Estiveram presentes à audiência os secretários de Planejamento e Orçamento, Abdelaziz Santos; de Trabalho e Economia Solidária, Terezinha Fernandes; o secretário da representação do governo em Brasília, Wagner Lago e o deputado federal Julião Amin.