Jackson Lago dará coletiva neste sábado (18/4) no Palácio dos Leões

O Governador cassado Jackson Lago, vice-presidente nacional do PDT, se reúne neste sábado (18/4) no Palácio dos Leões, sede do governo maranhense, com parlamentares, colaboradores e líderes de movimentos sociais que  o apóiam para decidir seus próximos passos na luta de resistência à cassação de seu mandato pelo TSE. Lago também avaliará as repercussões de sua decisão de resistir e, depois, concederá entrevista à imprensa nacional e estrangeira no local.

A informação é de seu secretário de imprensa, Zeca Pinheiro. Jackson passou a noite no Palácio dos Leões, ao mesmo em que seus advogados entravam com novo recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a cassação e a posse de Roseana Sarney através de liminar (decisão provisória) – já que a Constituição estadual determina que, havendo vacância do cargo de governador nos dois últimos anos de mandato, a Assembléia Legislativa eleja, indiretamente, o substituto.

A defesa teve o cuidado, ao entrar formalmente com o pedido no STF, de pedir que a ação não fosse distribuída para o ministro Ricardo Lewandowski já que ele, na tarde de ontem (sexta), indeferiu de imediato ação cautelar protocolada pela coligação que elegeu Jackson Lago nas eleições de 2006, derrotando Roseana nas urnas. Lewandowski, também integrante do TSE, votou, no plenário da justiça eleitoral, pela cassação de Lago. Na noite de ontem (sexta), quando a defesa de Lago encaminhou novo pedido, Lewandowski já havia deixado Brasília e, por isso, o caso foi encaminhado ao ministro Carlos Alberto Direito.

Falando aos correligionários que com ele ocupam o Palácio dos Leões, Lagos afirmou na sexta: “Eles (a família Sarney) precisam ver que encontrarão resistentes, pessoas que mostrarão o que é a injustiça no Maranhão. Devemos estar aqui, vigilantes, resistentes”.

O Governador cassado Jackson Lago, vice-presidente nacional do PDT, se reúne neste sábado (18/4) no Palácio dos Leões, sede do governo maranhense, com parlamentares, colaboradores e líderes de movimentos sociais que  o apóiam para decidir seus próximos passos na luta de resistência à cassação de seu mandato pelo TSE. Lago também avaliará as repercussões de sua decisão de resistir e, depois, concederá entrevista à imprensa nacional e estrangeira no local.

A informação é de seu secretário de imprensa, Zeca Pinheiro. Jackson passou a noite no Palácio dos Leões, ao mesmo em que seus advogados entravam com novo recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a cassação e a posse de Roseana Sarney através de liminar (decisão provisória) – já que a Constituição estadual determina que, havendo vacância do cargo de governador nos dois últimos anos de mandato, a Assembléia Legislativa eleja, indiretamente, o substituto.

A defesa teve o cuidado, ao entrar formalmente com o pedido no STF, de pedir que a ação não fosse distribuída para o ministro Ricardo Lewandowski já que ele, na tarde de ontem (sexta), indeferiu de imediato ação cautelar protocolada pela coligação que elegeu Jackson Lago nas eleições de 2006, derrotando Roseana nas urnas. Lewandowski, também integrante do TSE, votou, no plenário da justiça eleitoral, pela cassação de Lago. Na noite de ontem (sexta), quando a defesa de Lago encaminhou novo pedido, Lewandowski já havia deixado Brasília e, por isso, o caso foi encaminhado ao ministro Carlos Alberto Direito.

Falando aos correligionários que com ele ocupam o Palácio dos Leões, Lagos afirmou na sexta: “Eles (a família Sarney) precisam ver que encontrarão resistentes, pessoas que mostrarão o que é a injustiça no Maranhão. Devemos estar aqui, vigilantes, resistentes”.