Jackson Lago anuncia retomada do Projeto Tabuleiro de São Bernardo


O governador Jackson Lago e o diretor-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Elias Fernandes, anunciaram na segunda-feira (13), em visita ao Tabuleiro de São Bernardo, a retomada do projeto de irrigação, numa parceria que vai contar também com os produtores rurais e prefeitos da região. Fernandes, que fez a visita acompanhado de outros dois diretores do órgão federal e do representante do Ministério da Integração Regional, anunciou também a criação do um escritório do Dnocs no Maranhão. Este escritório vai funcionar temporariamente até a instalação de uma coordenação estadual, que vai acompanhar os projetos de irrigação, além da radicação de população em comunidades de irrigantes ou em áreas especiais, abrangidas por programas trabalhados em parceria com o Governo do Estado.

O governador disse que fez questão de participar de um encontro puxado pelos produtores rurais, conhecidos por irrigantes, em função da “magnitude do projeto” e com o objetivo de buscar parceria envolvendo todos os segmentos da sociedade para garantir o sucesso do empreendimento. “Salangô, a Barragem do Flores, Pericumã e o Tabuleiro são projetos que no início foram conhecidos por sua magnitude. Por isso, fiz questão de participar desse encontro, para conhecer fisicamente o Tabuleiro e olhar um projeto no qual foi investido tanto dinheiro público, fortunas foram investidas aqui, a ainda não se chegou a nenhum resultado”.

Jackson informou que nomeou um grupo de trabalho, coordenado pelo vice, Pastor Luiz Porto, e formado pela assistente social, Núbia da Luz Martins Gomes, pela vice-governadoria; Laniel Barros, da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagro) e Durval Ribeiro, da Agência de Extensão Rural e Assistência Técnica e Pesquisa (Agerp). Esta comissão acompanha juntamente com os gerentes do perímetro dos projetos e com os irrigantes, o trabalho desenvolvido nas áreas, além de coletar as solicitações dos trabalhadores. Estas reivindicações são condensadas em um relatório que é entregue ao vice-governador que, após dar conhecimento do governador é encaminhado ao DNOCS. Vale lembrar que as primeiras medidas anunciadas para São Bernardo decorreram da ação do grupo.

Para ajudar na retomada do projeto, o governador anunciou que o estado vai contribuir inicialmente com a construção de 100 casas para as famílias instaladas nos lotes distribuídos pelo Governo Federal e ajudar na assistência técnica. O governo vai também integrar um grupo de trabalho formado por representantes do Dnocs e os produtores rurais, responsável por acompanhar as ações de retomada do projeto. “Acho que é um desejo de todos nós que o projeto produza. Queremos todos juntos, a população, os irrigantes e suas organizações, as prefeituras que fazem parte do entorno do projeto e o empresariado da região, para que possamos trabalhar no sentido de que esse grande projeto comece a funcionar”, afirmou.

Além do vice-governador e dos secretários de Agricultura (Domingos Paz), Casa Civil (Aderson Lago) e Planejamento (Aziz Santos), o deputado estadual Marcos Caldas (PT do B) e prefeitos da região como Coriolano Almeida (São Bernardo), Osvaldo Batista (Magalhães de Almeida), Custódio Cardoso (Araioses), João Almeida (Santana do Maranhão) e o vice de Brejo, Padre Fábio, prestigiaram a visita ao Tabuleiro de São Bernardo. Também estiveram presentes o diretor de produção do Dnocs, Felipe Cordeiro, o representante do Ministério da Integração Regional, José Bento Correa, e o coordenador do Dnocs no Maranhão e Piauí, José Carvalho.

Projeto de 25 mil hectares – Antes da reunião com os produtores rurais, o governador e os diretores do Dnocs, acompanhados de uma grande comitiva, fizeram visitas ao canal de distribuição de água para os lotes, de 5,2 mil metros, ao local de captação no Rio Paranaíba, na divisa com o Piauí, e ao gigantesco reservatório de água que a comunidade utiliza para irrigar as plantações.

O presidente da Associação dos Irrigantes do Tabuleiro, Lourival Brandão, que coordenou as visitas, revelou que o projeto, iniciado pelo Governo Federal em 87, atende atualmente a apenas 78 famílias, mas tem área de 25 mil hectares. Onze mil estão prontos para serem irrigados, mas por enquanto as famílias estão trabalhando em apenas 542 hectares e prestes a ocupar outros 600, com plantação de banana, melancia, laranja, limão e coco. “Essa parceria com o Governo do Estado e a decisão do governador de ajudar o Tabuleiro são muitos boas para as nossas famílias”, comemorou Lourival Brandão.

Os diretores do Dnocs admitiram na reunião técnicas com os irrigantes e o governador que o projeto está sucateado. O diretor-geral, Elias Fernandes, que está no cargo há apenas 80 dias montou com os produtores uma pauta dos problemas prioritários, cuja solução vai ser cobrada pelo grupo de trabalho criado no encontro. Fernandes destacou a retoma do projeto e o grande interesse demonstrado pelo governador em contribuir com o Governo Federal para que o projeto volte a produzir em grande escala.

Os agricultores acreditam que se forem investidos 100 milhões na revitalização do projeto vão ser gerados cinco mil empregos diretores e dez mil indiretos. Depois da visita ao Tabuleiro de São Bernardo, o vice-governador, Pastor Luiz Porto, o diretor-geral do Dnocs e o secretário de Agricultura do Estado, foram vistoriar a situação da Barragem do Flores, na Região do Mearim.

Antes de deixar São Bernardo, o governador recebeu vários líderes comunitários e presidentes de associações da região do Baixo Parnaíba, levados pelo ex-prefeito de Barreirinhas, Léo Costa, que apresentaram reivindicações para a região. De uma das lideranças, Jackson recebeu documento no qual solicitou que o estado regularize uma área devoluta de 1,1 mil hectares para acomodar aproximadamente 100 famílias. O governador repassou o caso ao secretário de Agricultura, que prometeu atuar no sentido de regularizar a situação dessas famílias.