Glenn Greenwald questiona contatos de Aloysio Nunes Ferreira nos EUA


OM - Glenn Greenwald / The Intercept

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald, em matéria publicada no jornal “The Intercept” sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, chama a atenção para a viagem aos Estados Unidos do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), um dos líderes do movimento para afastar a presidente Dilma da presidência da República, no dia seguinte à votação do impeachment na Câmara. Glenn Greenwald foi o jornalista que revelou ao mundo o agente da NSA Edward Snowden e suas denúncias em relação aos crimes cometidos pela inteligência americana.

Segundo o jornalista, Aloysio Nunes viajou para Washington “para participar de três dias de reuniões com várias autoridades norte-americanas, além de lobistas e pessoas influentes próximas a Clinton e outras lideranças políticas”.

Greenwald detalhou:

“Nunes vai se reunir com o presidente e um membro do Comitê de Relações Internacionais do Senado dos Estados Unidos, Bob Corker (republicano, do estado do Tennessee) e Ben Cardin (democrata, do estado de Maryland);  com o Subsecretário de Estado e ex-Embaixador no Brasil, Thomas Shannon, além de comparecer a um almoço promovido pela empresa lobista de Washington, Albright Stonebridge Group, comandada pela ex-Secretária de Estado de Clinton, Madeleine Albright e pelo ex-Secretário de Comércio do ex-presidente Bush e ex-diretor-executivo da empresa Kellogg, Carlos Gutierrez”.

O jornalista revelou também que a Embaixada Brasileira em Washington e o gabinete do Senador Aloysio Nunes, consultados, despistaram afirmando que “não tinham maiores informações a respeito” do almoço e da visita do político brasileiro.

Greenwald destacou na mesma matéria o papel dos Estados Unidos no golpe de 64 e ressaltou o fato de que Aloysio Nunes, como presidente da Comissão de Relações e Defesa Nacional do Senado brasileiro, tem defendido uma maior aproximação do Brasil com os EUA e o Reino Unido.  Cita também o fato de que Nunes “foi fortemente apontado em denúncias de corrupção”.

Destaca também que a sua viagem aos Estados Unidos “foi divulgada como ordem do próprio Temer, que está agindo como se já governasse o Brasil”. Diz ainda que Temer estaria incomodado com as constante denuncias da imprensa internacional de que está acontecendo um golpe de estado no Brasil e teria enviado Aloysio Nunes aos Estados Unidos “para lançar uma contraofensiva de relações públicas”, informação inclusive divulgada pelo jornal “Folha de São Paulo”.

Temer estaria também “abertamente preocupado e furioso com a denúncia do impeachment pela Organização de Estados Americanos, apoiada pelo Estados Unidos, cujo secretário-geral, Luis Almagro, disse que estava “preocupado com