Estudantes de luta, uni-vos!

O dia do estudante, comemorado em 11 de agosto, foi marcado por diversos atos em vários estados do Brasil. Essa data, que nem sempre é lembrada pelo conjunto da sociedade, tem um significado ímpar para o Movimento Reinventar, nosso coletivo de estudantes, que atuou em mobilizações em alguns estados como o Maranhão e Rio de Janeiro.

 

Paralelamente às comemorações, assistimos com tristeza e indignação às greves nas Universidades Federais do país além de milhares de crianças e jovens que ficaram sem aulas por conta da greve dos profissionais da educação. Em estados como Bahia e Sergipe a greve durou 100 dias, chegando ao fim nesta semana e sem a resolução esperada por todos nós que seria a valorização desses profissionais.

 

Aprovar com rapidez o novo Plano Nacional de Educação é obrigação de nossos parlamentares. A sociedade brasileira aguarda por uma reforma na área educacional há décadas.

 

Os estudantes brasileiros tiveram a sede da sua entidade queimada em 1964, conseguiram tê-la de volta mais de 40 anos depois graças às lutas que foram passadas de geração a geração.

 

Foi nessa sede que ontem, 11 de agosto, nos reunimos para confraternizar, relembrar, cobrar, além de ouvir discursos emocionados de ex-presidentes da UNE e UBES das mais variadas décadas nesses 75 anos de existência. Firmamos o nosso anseio pela aprovação imediata dos 10% do PIB destinados à educação e lembramos de outras importantes conquistas. Como jovem e estudante secundarista, vejo a minha realidade mudar constantemente e essa data serve para lembrar o quanto é valoroso o dia-a-dia que passamos em nossas escolas, fundando grêmios estudantis, mobilizando a turma para passeatas e levando, a cada estudante, a importância da luta pela educação integral que visa reinventar o nosso Brasil.” – declarou Luís Moreira, nosso diretor da UBES que marcou presença junto com jovens de Duque de Caxias, sua cidade.

 

A ditadura perseguiu, prendeu, torturou e executou centenas de estudantes que lutavam pelos seus direitos. Conseguimos derrotá-la, mas ainda temos muito trabalho pela frente.  Os estudantes de hoje precisam honrar os estudantes do passado. Foi um passado difícil, um passado ditador. Mas, foi também, um passado de vitórias, de heranças, de histórias… Precisamos agora construir o futuro. E esse futuro melhor só será possível através da educação integral, das escolas que ensinam, cuidam, incentivam e encaminham nossas crianças e jovens.

 

Devemos nos entender enquanto classe e enxergar o nosso papel na sociedade agora enquanto ainda há tempo! Essa é a hora e não deixaremos pra depois!

 

 

Tássia Bastos, 1ª diretora de Relações Institucionais da UNE e Coordenadora do Movimento Reinventar.

 

*O Movimento Reinventar tem como principal bandeira, a luta pela educação em tempo integral. Dedicamos essa luta a Leonel Brizola e Darcy Ribeiro que inspiram o nosso movimento por toda sua dedicação e luta em prol de um Brasil soberano e de uma educação de qualidade para todos.