Esquerda lança campanha por reformas

   Cinco partidos de esquerda – PDT, PC do B, PSB, PT e PR – promoveram na tarde desta quarta-feira, 20 de fevereiro, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, um ato de Lançamento da Campanha em Defesa das Reformas Democráticas: Reforma Tributária, Reforma Política, Reforma da Educação, Reforma Urbana, Reforma Agrária e Democratização da Mídia.

Com um auditório lotado de militantes, simpatizantes, filiados e autoridades, representantes das cinco legendas marcaram a mobilização pelas reformas como prioridade na agenda de 2008. Estiveram presentes o líder do PDT na Câmara, deputado Vieira da Cunha(PDT-RS), o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), o secretário nacional do PDT, e presidente da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasquelini, Manoel Dias, o presidente do PCdo B, Renato Rabelo, representantes das fundações Maurício Grabois(PcdoB), Republicana Brasileira(PRB), Perseu Abramo(PT) e João Mangabeira(PSB), entre outras autoridades.

A intenção dos cinco partidos, unidos em torno da necessidade das reformas democráticas, é apresentar alternativas para a construção de um projeto nacional de desenvolvimento adaptado ao potencial do país e às demandas do povo brasileiro. 

Líder defende educação

Vice-presidente nacional do PDT, o deputado federal Vieira da Cunha (PDT-RS) defendeu a reforma educacional como prioritária para o desenvolvimento econômico e social do País. “Dentre todas as reformas necessárias, inadiáveis e imprescindíveis, o PDT destaca a reforma educacional, porque só através de uma escola pública, gratuita, de qualidade e de turno integral que vamos transformar verdadeiramente este País”, disse Vieira em nome da legenda.

De acordo com o pedetista, o atual movimento pelas reformas democráticas retoma a luta do trabalhismo com a defesa das chamadas “reformas de base” durante o governo de João Goulart, antes do Golpe de 1964. “Jango estava preperando essas mesmas reformas para fazer o Brasil avançar rumo a uma pátria mais justa, mais soberana, mais democrática”, afirmou. Para Vieira, foi exatamente por isso que o movimento militar depôs o então presidente da República dias após o famoso comício da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, em 13 de março de 1964. “É esse o fio da história que os partidos de esquerda, populares e democráticos querem retomar”, avaliou.

O deputado assegurou que o PDT estará sempre à frente de campanhas por reformas tais como a agrária e a urbana. “Esta luta é absolutamente necessária para que possamos viver num país realmente democrático em que o nosso povo tenha dignidade”, concluiu.