Dia da Consciência Negra – Abdias do Nascimento, a voz forte contra o racismo no Brasil

FLB-AP20/11/2017

“É um dia histórico na luta pela libertação do povo negro neste país”, afirmou o então deputado pelo PDT, Abdias Nascimento – primeiro representante efetivo da causa afrodescendente na Câmara dos Deputados. O discurso emblemático ocorreu durante a marcha contra o racismo, no dia 11 de maio de 1988, no Rio de Janeiro. Com milhares de pessoas nas ruas do centro da capital carioca, o evento marcou um amplo protesto, na véspera do centenário da abolição da escravatura, que ocorreria dois dias depois.

O pedetista evidenciou os problemas ainda existentes no Brasil e mostrou a importância da efetiva defesa da causa no Congresso Nacional.

“O negro representando os negros Câmara federal, coisa que acontece pela primeira vez na história deste país”, comentou Abdias, ao completar: “Nós temos sustentado uma luta secular em resgate da nossa dignidade humana, da nossa história e dos nossos valores culturais”.

“É a primeira vez, após a abolição da escravatura, que nós apresentamos, em um ato memorável como este, a nossa maturidade política, a consciência dos nossos direitos irreversíveis. Nós estamos aqui não para mendigar, não para estender a nossa mão para a mendigância da classe dirigente. A nossa mão está estendida à solidariedade, mas essa solidariedade tem um preço, e é o preço que a sociedade dominante tem que pagar”, exaltou, ao ser aplaudido pela multidão.

“Nós não podemos ser teleguiados dos brancos, não podemos abrir mão do nosso direito de autogoverno. Onde estão, por exemplo, os generais de quatro estrelas da raça negra? Onde estão os almirantes negros?”, questionava em uma crítica direta aos ditadores militares.

“A nossa raça é muito forte. A nossa raça é muito resistente. E por força do nosso sangue, por força dos nossos orixás, que tem sustentado nossa fé, nossa energia e nosso braço que jamais descansou nessa luta sem tréguas por nossos direitos fundamentais”, concluiu.

Confira o discurso na íntegra:

 Igualdade racial

Senador e deputado federal pelo Rio de Janeiro, Abdias Nascimento (1914-2011) também foi jornalista, poeta, ator, escritor, dramaturgo, artista plástico, professor universitário, político e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras. Esteve à frente de projetos pioneiros na luta pela igualdade racial no País, como o Teatro Experimental do Negro e o jornal Quilombo.

Passou 13 anos em exílio após a edição do Ato Institucional nº 5 do regime militar, em 1968. Foi um dos principais idealizadores do Dia da Consciência Negra, que se comemora em 20 de novembro – data da entrega da comenda. Em 2010, chegou a ser recomendado pelo governo federal para uma indicação ao Prêmio Nobel da Paz, mas não foi incluído entre os finalistas.