Delegação do PDT visita indústria em Nanjing, no Sul da China

O oitavo dia da viagem da delegação do PDT pela China inclui visita nesta sexta-feira (19/12), na Província de Nanjing, no Sul do país, as sedes da industria de alta tecnologia Panda Electronics Group Co. Ltd e ao campus da Universidade de Nanjing. Ex-capital da China, Nanjing é a mais rica província da China devido a grande concentração de indústrias eletrônicas e por ser o lugar onde vivem e estudam 1,5 milhão de estudantes de nível superior distribuídos por 1.500 universidades.
 
Os brasileiros se deslocaram ontem (18/12) para Nanjing procedentes da Província agrícola de Ghizhou, mais ao Sul, a mais pobre do país – centro turístico mundial por suas belezas naturais que impressiona aos visitantes pela quantidade de prédios e obras de infra-estrutura em execução – graças a determinação do governo central da China de levar para a região o desenvolvimento do resto do país.
 
Ainda nesta sexta, a delegação visitará a tarde o Salão Memorial das Vítimas do Massacre de Nanjing, o Instituto de Pesquisas e terá uma reunião com o principal dirigente da província de Jiangsu. No sábado o grupo visitará o mausoléu de Sun Yat-sem e visitará o município de Yangzhou, próximo a Nanjing, onde será recebida pelos dirigentes locais para um almoço típico. A programação prevê ainda um passeio pelo Lago Shouxi e visita a comunidade de Quionghuanguan.
 
Os três dias de visita a Província de Ghizou, de 16/12 a 18/12, incluiu visita ao centro de desenvolvimento de novas tecnologias de Guiyang, uma reunião com Wang Fu Yu, secretário geral provincial do Partido Comunista Chinês (PCC), além de outros dirigentes,  e um jantar de confraternização.
 
No dia 17/12, ainda em Ghizou, a delegação se deslocou para a região de Quiandongnan, para conhecer uma aldeia agrícola tipicamente chinesa, onde foram recebidos pelo chefe local. Depois de conhecerem a vida dos camponeses, visitando suas casas e locais de trabalho, os brasileiros se deslocaram para a cidade – onde almoçaram em um restaurante típico da étnica Mion, que vive na região, acompanhados do prefeito local. (na foto, moradores da aldeia recebem a delegação brasileira com música e palmas)
 
No dia seguinte, pela manhã, antes de embarcarem de avião para Nanjing, os brasileiros conheceram a escola de formação política da província de Ghizou. Recebidos pelos diretores da escola, percorreram as instalações onde são ministrados cursos variados, de dias a meses, que preparam os integrantes do PCC para o exercício de cargos de direção. Passam pela escola, anualmente, cerca de 3 mil alunos atendidos por uma equipe de 100 professores, a maioria com mestrado e doutorado, que dispõe das mais modernas instalações para o funcionamento de seus cursos.
 
No próximo domingo (21/12) os integrantes da delegação do PDT viajam de Nanjing para Pequim para o último compromisso na China, antes do regresso ao Brasil na segunda: conhecer a escola de aperfeiçoamento de quadros do Comitê Central. Os brasileiros, que iniciaram sua viagem pela China 11 de dezembro, retornam ao Brasil na segunda, dia 22/12, em vôo de 22 horas, via Paris.
 
Ainda em Pequim, na segunda passada (15/12), os brasileiros assistiram palestra do subdiretor geral do Comitê Permanente da Assembléia Popular Nacional da China sobre o funcionamento da instituição, sr. Wang Quigang; e do sr. Fan Jida, professor da Academia Nacional de Administração Pública, sobre a reforma e a abertura da China. As palestras foram seguidas de perguntas, debates e troca de informações.
 
Na reunião em Ghizou com o secretário geral do PCC, Wang Fu Yu, na terça (16/12), este fez esposição detalhada sobre as características da região – uma das mais belas da China – que tem 40 milhões de habitantes, sendo 3 milhões deles na capital e onde vivem 17 minorias étnicas, inclusive a Mion, visitada pelos brasileiros. Na China, existem 53 minorias étnicas além da etnia Huan, dominante, a qual pertencem mais de 90% da população. A  cultura e as tradições dessas minorias são respeitadas.
 
De população camponesa, Ghizou é a região da China mais rica em recursos hídricos e onde a visão dominante fora dos centros urbanos é de platôs onde se planta de tudo, em cada pedaço, em cada canto de terra – com técnicas milenares, onde chama a atenção o pequeno tamanho dos platôs cultivados. Ghizou também é rica em recursos minerais e onde se concentram as minas de carvão da China, base da matriz energética do país na proporção de 60% – especialmente termoelétricas. Ghizou também é conhecida em toda a China devido ao cultivo de ervas tradicionais da medicina milenar, cerca de 3 mil espécies, além de seus lagos e córregos, muito disputados pelos turistas no verão.
 
Vieira da Cunha, na conversa com Wang Fu Yu, arrancou boas gargalhadas do dirigente chinês quando observou, depois de apresentar um a um os integrantes da delegação brasileira, e falar do PDT e de Brizola – que torcia para que o Brasil e a China continuassem no caminho do desenvolvimento e da melhoria de vida de seus povos “se os grandes irmãos do Norte não atrapalhassem” com sua crise. Expansivo, Wang falou de sua admiração pelo Brasil por suas riquezas naturais e pela hospitalidade de seu povo. “O Brasil é como se fosse um grande jardim”, definiu. À noite Wang Fu Yu ofereceu um jantar aos visitantes.