Cristovam: “Educação deficiente é desperdício de cérebros”

O Brasil está “desperdiçando cérebros”, segundo Cristovam Buarque (PDT-DF), “pois não proporciona ensino de qualidade para as crianças”. Na opinião do senador, jovens que poderiam vir a ser cientistas ou escritores são desestimulados devido ao descaso dos governantes com o ensino público.
Cristovam disse que a história mundial está cheia de exemplos de grupos ou governantes que ordenaram a queima de livros, mas frisou que a má qualidade do ensino público brasileiro “é tão grave” quanto.
– A história inteira do Brasil é uma história de impedir que os livros sejam escritos, de não deixar que os cientistas e intelectuais floresçam. Quando você nega a escola, você impede um ser humano de se desenvolver intelectualmente e virar um cientista, um poeta, um escritor. Não é a distribuição da renda que vai mudar a realidade e sim a distribuição do conhecimento, o acesso de todos a uma escola de qualidade igual – afirmou.
O senador homenageou o Dia do Professor, mas lamentou o fato de a categoria não ter “o prestígio que merece”. Ele pediu mais apoio principalmente para os professores da educação de base.

Jornal do Senado