Conselho Curador da Fundação ratifica prioridade dos núcleos de base

FLB-AP/Bruno Ribeiro06/06/2017

Os núcleos de base foram o destaque do planejamento estratégico da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) apresentado na reunião do seu Conselho Curador, que ocorreu hoje (6) na sede nacional do PDT, em Brasília. Liderada pelos presidentes do PDT e da Fundação, Carlos Lupi e Manoel Dias, respectivamente, o encontro exaltou os 10 anos de criação da Universidade Aberta Leonel Brizola (ULB).

Para o presidente da Fundação e secretário-geral do PDT, Manoel Dias, a nucleação é um prioridade da Direção Nacional da sigla e representa a construção de uma plataforma sólida para as próximas eleições diretas. “É uma mobilização integrada para buscar o desenvolvimento da militância e garantir os avanços sociais através das bandeiras do Trabalhismo. Nós temos que insistir, pois a mudança de uma cultura é complicada”, afirmou.

“Por isso, o caminho deve ser trilhado pela formação política, que está no nosso estatuto, a partir dos núcleos de base permanentes e empoderados. Para isso, é essencial utilizar a internet, ferramenta de disseminação do conhecimento”, ponderou Dias, ao exaltar a integração com a ULB. “A nossa universidade é um dos principais instrumentos de contato com os militantes que estão na ponta. Com os cursos específicos para os multiplicadores e membros dos núcleos pedetistas, vamos mobilizar os pedetistas em cada canto desse país”, acrescentou.

Ao contextualizar a realidade atual com a imposta durante a ditadura, o presidente da FLB-AP ressaltou que o maior crime dos militares foi provocar a alienação de diversas gerações e o estímulo ao individualismo. “Discutir política não pode ser visto como problema, apesar de, hoje, ser criminalizado por parte da sociedade. Para reverter esse quadro, só restou o PDT, no campo popular, com efetiva identidade ideológica. Isso ocorre por nossa persistência, que foi liderada pelo Lupi ao manter, no partido, a coerência e os princípios”, exaltou.

Carlos Lupi, que também é presidente do Conselho Curador, indicou que o estatuto fala objetivamente das ações da Fundação e mostra a importância do desenvolvimento da formação política, produção de conteúdos e debates nacionais e internacionais. “Nesse novo momento da política e do Brasil, a gente precisa ter consciência da importância da formação de quadros. Nós somos, praticamente, uma flor no deserto. Precisamos trabalhar e mostrar, principalmente, para os jovens, a nossa história”, assegurou.

“Temos uma missão em cada estado. Os núcleos de base são fundamentais para avançar com as causas do partido. A atual geração é digital. Por isso, precisamos liderar esse movimento em um formato dinâmico e moderno”, concluiu Lupi.

No encontro também foi aprovada a formalização da nomenclatura da Fundação, que incluiu o nome de Leonel Brizola, ratificada a nomeação dos conselhos executivo e fiscal indicados pelo Diretório Nacional do PDT, bem como o ajuste do estatuto da instituição.

Estrutura

O núcleo de base constitui a essência política do partido. A sua militância organizada para o trabalho popular apresenta um perfil diverso: alguns já possuem experiência e compromisso no PDT, em sindicatos ou movimentos populares. Já outra parcela não possui engajamento algum.

Apesar das diferenças, o objetivo converge para o mesmo ponto: confirmar o partido como efetiva liderança do campo popular na defesa dos direitos do povo brasileiro.