Ciro Gomes apresentará esboço de seu plano de governo em maio


Por Silmara Cossolino
26/04/2018

O pré-candidato à presidência da República Ciro Gomes participou nesta quinta feira (25), em Brasília, da Marcha dos Vereadores. Ciro encerrou as atividades da manhã, onde falou de segurança, desemprego, economia e o cenário político atual.

O endividamento familiar e empresarial, as finanças públicas e as importações foram os fatores apontados pelo pedetista e que têm impedido o Brasil de crescer.

Antes da palestra, Ciro conversou com jornalistas sobre seu programa de governo. Ele adiantou que os primeiros esboços estão prontos e que pretende disponibilizá-lo na internet a partir de maio, para receber sugestões a fim de readaptá-lo. A expectativa é apresentar, em junho, um projeto nacional de desenvolvimento completo para o Brasil.

“A primeira grande questão é a diretriz macroeconômica básica para o País. Em seguida, vamos abrir para receber criticas e sugestões para que não se faça um plano tecnocrata, de cima para baixo, e que venha com o reforço porque estamos com vontade de botar as mãos no vespeiro todo”, disse.

O presidenciável falou ainda sobre segurança pública e disse que o convencional não vai resolver o problema trágico pelo qual o Brasil passa em relação à escalada de violência, ao crime organizado e narcotráfico.

A educação também está na pauta do pré-candidato.  Ciro comentou que vai discutir de forma detalhada o tema e mencionou os resultados exitosos obtidos no Ceará, onde 77 das 100 melhores escolas básicas do Brasil existem hoje.

Sobre saúde, pontuou que é o momento de rever a questão de gerenciamento do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Achamos que é uma experiência que pode ser melhorada pela critica da nação brasileira. Toda a revisão dos conceitos e fundamentos do SUS é uma ideia que tem que ser mantida, mas agora é a hora de dar um pulo na questão do gerenciamento para que a gente legitime a disputa por um modelo novo que supere o subfinanciamento”, disse, referindo-se, principalmente, à distribuição de remédios, exames  especializados e nos leitos hospitalares das cirurgias eletivas.

Ciro disse ainda que é preciso criar um sistema nacional de segurança de forma substantiva, de modo a hierarquizar todo o aparato de segurança a partir das guardas civis e municipais, resolvendo com a sociedade brasileira se serão armadas ou se avançarão para um treinamento mais avançado.

“Essas são as grandes questões que estão sendo discutidas e nós vamos colocar a população pra nos ajudar pensar”, enfatizou.