Celso Amorim: Mudar política externa do país sem legitimidade é grave

OM - 247

O ex-chanceler brasileiro e ex-ministro da Defesa da presidente Dilma Rousseff, Celso Amorim, deu entrevista ao jornal chileno ‘La Tercera’, na qual demonstrou preocupação com as consequências do golpe parlamentar tanto para o Brasil quanto para os demais países da América Latina. 

Amorim destacou que em poucos dias, o presidente interino, Michel Temer, implementou uma “mudança total” de governo sem legitimação do povo. “Outro aspecto que torna muito grave é que um projeto de visão nacional que muda sem que tenha havido uma eleição, sem que tenha havido uma votação da população. É uma mudança total, sem uma eleição”, afirmou.

Celso Amorim também criticou as prioridades elencadas por Temer. “Por exemplo, um negro não foi visto, não era uma mulher nos ministérios, a importância da cultura de direitos humanos foi diminuída e a importância da segurança é aumentada. Ele vem de uma política econômica totalmente neoliberal, com grandes privatizações do que resta a ser privatizado. Assim que me parece que você não pode fazer isso, porque não é o que as pessoas votaram”, citou. 

Sobre o dano causado à imagem do País no exterior com o golpe parlamentar, o ex-ministro disse que é “tudo muito negativo”. “E porque é visível que as prioridades do Brasil, penso eu, estão mudando, está olhando menos para a região, é uma visão muito mercantilista, muito comercialismo do que é relações internacionais. Isso é preocupante”, afirmou. 

Leia na íntegra a entrevista de Celso Amorim, em espanhol.