Carteira de trabalho on-line é modelo para o país

Experiência pioneira do Amapá de emissão de carteiras de trabalho on-line será
estendida a todo país
Atendendo ao pedido dos diretores dos Centros de Atendimento ao Cidadão (CAC) de todos os estados brasileiros, o governador Waldez Góes apresentou, nesta quarta-feira, 11, ao ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Roberto Lupi, uma carta solicitando que seja implantado em todos os CAC do país, o serviço de emissão de Carteira de Trabalho on-line, a exemplo do Estado do Amapá. Acompanharam o governador a diretora do Superfácil, Luzia Grunho, representantes de sete estados e do Distrito Federal além dos deputados Jurandil Juarez, Fátima Pelaes e Evandro Milhomen.
O serviço pioneiro é resultado da parceria entre Governo do Estado, Ministério do Trabalho e Caixa Econômica.
O governador defendeu a implantação do sistema em outros estados.
“Isso é bom para o Ministério do Trabalho, para o trabalhador e para o mercado, porque agiliza o desempenho na inserção do trabalhador no mercado de trabalho. Vai diminuir a possibilidade de carteiras falsas e as duplicidades de carteiras”, avaliou Góes.
Imediatamente, o ministro aprovou a idéia e destacou o trabalho realizado no Amapá. “O Amapá já é um modelo para o País”, disse Lupi. De acordo com os dados do Superfácil, pelo sistema manual eram expedidas, em média, 29 mil carteiras por ano; com o sistema on-line, implantado em 2005, no ano passado foram emitidas 59 mil e para este ano a previsão é de 80 mil carteiras.
Luzia Grunho afirmou que o custo é baixíssimo em relação ao benefício, considerando-se a facilidade, a segurança e a velocidade com que o cidadão é atendido. “Em 15 minutos o documento é concluída e o cidadão vai embora satisfeito com sua carteira”, disse a diretora.

A carta foi redigida no encontro de diretores dos CAC, realizado em São Paulo, em novembro, quando tomaram conhecimento da experiência pioneira do Amapá. Na
audiência estavam presentes os diretores de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa
Catarina, Bahia, Maranhão, Pará, Goiás e Distrito Federal.

Governo do Amapá