Câmara homenageia Leonel Brizola



Leia também: Brizola desmascarou a grande mídia

Por:Leonel Sica da Rocha

(21/06/07)A Câmara dos Deputados realizou sessão solene, nesta quinta-feira (21), em homenagem ao ex-governador Leonel de Moura Brizola, por ocasião da passagem do terceiro aniversário de sua morte, ocorrida em 21 de junho de 2004. O deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), vice-presidente nacional da sigla, foi o proponente e principal orador da solenidade. O parlamentar fez uma retrospectiva da vida política e pessoal do líder trabalhista, destacando as qualidades que o fizeram ganhar projeção nacional e internacional. “Brizola, ao lado de Getúlio Vargas e de João Goulart é, incontestavelmente, um dos maiores líderes do trabalhismo, causa que abraçou quando jovem, com idealismo e convicção. Feliz a Nação que tem na galeria de seus grandes líderes homem público da estatura de Leonel Brizola.”, discursou.

Vieira da Cunha lembrou a infância pobre do menino Leonel no interior de Carazinho, Rio Grande do Sul, até chegar à capital, Porto Alegre, onde estudou e iniciou sua vida pública. O pedetista destacou a trajetória política de Brizola como deputado estadual constituinte no RS, prefeito de Porto Alegre, governador do estado do RS, deputado federal e duas vezes governador do estado do Rio de Janeiro. Ressaltou a preocupação do líder trabalhista com as crianças e com a causa da educação. “Duvido que algum governante no mundo tenha construído mais escolas do que eu, proclamava o homem que ergueu no RS o impressionante número de 6.300 escolas em 4 anos de governo”, rememorou Vieira. Conforme ele, a maior paixão de Leonel Brizola era o CIEP – Centro Integrado de Educação Pública, a escola de turno integral “concebida para ser a semente de uma nova sociedade, com igualdade de oportunidades para todos”.

Outro traço marcante de Leonel Brizola assinalado pelo parlamentar foi seu patriotismo. Ele recordou que no encerramento dos encontros partidários do PDT, Brizola invariavelmente puxava o Hino da Independência. “Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil, cantava emocionado e convictamente”, contou. Também a conduta ética do ex-governador foi enfatizada no discurso do deputado. Para Vieira, o líder trabalhista deixou um legado de ensinamentos, lições e seguidores. “A vida de Leonel Brizola, honrada e limpa, sua trajetória de homem público exemplar e corajoso, é uma referência, um facho de luz a guiar o caminho de todos aqueles que querem fazer política com ética e com coerência”, concluiu.

Inspiração permanente

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e deputados de diversos partidos também se pronunciaram na homenagem a Leonel Brizola. Conforme Chinaglia, o ex-governador construiu a sua biografia defendendo sempre aquilo que para ele constituía seu projeto de nação livre e justa. “De tal maneira que as idéias propaladas resistem para além dos limites de sua vida. O legado brizolista é para todos nós, que militamos na política, uma inspiração permanente”, assegurou. De acordo com o presidente da Câmara, Brizola jamais transigiu nos princípios da moral e da ética, e soube ser coerente ao ganhar e perder com a mesma dignidade. “Obstinado incansável, continuou, sobretudo, a fazer da política a razão de existir”, completou.

Para Miro Teixeira, líder do PDT, talvez não exista outro vulto político brasileiro que tenha tido tal trajetória e tão relevante participação na história republicana do país. “Brizola é uma excepcionalidade. Acontece um Brizola em um século, em uma corrente de pensamento, ou aconteceu em um século, e ninguém sabe quantos séculos levarão para que aconteça novamente”, exclamou. Aldo Rebelo (PCdoB-SP) disse que Brizola escreveu uma das mais gloriosas páginas e uma das mais belas biografias políticas da história do Brasil. “Resumiu na sua vida pública as qualidades e as virtudes das melhores tradições libertárias do Rio Grande do Sul, que, digo, são as melhores tradições libertárias do povo brasileiro”, sustentou. O vice-líder do Governo, Henrique Fontana (PT-RS), afirmou que Brizola marcou a sua ação, como brasileiro e político, na defesa de um projeto de nação. “E conseguiu aquilo que todos nós políticos buscamos: realizar boa parte de seus ideais”, sublinhou. Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS), revelou que chegou a chorar ao lado do esquife de Leonel Brizola. “Sabia que ali estava a esperança de muitos brasileiros, a certeza de um amanhã para este País”, acrescentou.

Também discursaram enaltecendo a memória de Leonel Brizola os deputados Pastor Manoel Ferreira (PTB-RJ), Índio da Costa (DEM-RJ), Marina Maggessi (PPS-RJ), Hugo Leal (PSC-RJ) e Otávio Leite (PSDB-RJ). Estiveram presentes à sessão solene o secretário executivo do Ministério do Trabalho, Ronaldo Lessa, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do RS Victor Faccioni e o secretário-geral nacional da Juventude Socialista do PDT, Luiz Martins, dentre outras autoridades, lideranças e militantes do PDT.