Ato em Porto Alegre reverencia memória de Getúlio Vargas

PDT, PMDB e PTB depositaram rosas na Carta-testamento, em Porto Alegre

Diferente do cenário hostil que levou Getúlio Vargas ao suicídio em 24 de agosto de 1954, as forças trabalhistas do Rio Grande do Sul deram um exemplo de unidade em ato cívico na manhã deste domingo, 24, junto à Carta-testamento, na Praça da Alfândega, em Porto Alegre. PDT, PMDB e PTB, que estão unidos em coligação pela prefeitura da capital, pregaram uma unidade política também no cenário nacional, “como resgate histórico da memória de Vargas”, conforme disse o prefeito de Porto Alegre e candidato à reeleição, José Fogaça.

O senador Pedro Simon, o ex-governador Alceu Collares, o presidente regional do PTB, Elói Guimarães, e lideranças expressivas do PDT, PMDB e PTB estiveram desde às 10h na Praça da Alfândega, na Carta-testamento, onde tradicionalmente são realizadas as homenagens a Getúlio no dia 24 de agosto. Foi o ex-governador Alceu Collares o primeiro a falar e registrar que a união em torno da candidatura de José Fogaça é “a semente de um grande movimento nacional que vai substituir o neoliberalismo”. Ao substituí-lo no microfone, o senador Pedro Simon destacou que em nenhum outro lugar do país se repete a aliança de PDT, PMDB e PTB como em Porto Alegre. ’È uma tomada de posição em relação à realidade que não vai parar aqui, vai para o cenário nacional”, preconizou.

O prefeito José Fogaça reafirmou a importância dos partidos políticos como representação da organização popular, ponderando que os candidatos não podem se sobrepor aos partidos. Lembrou as lideranças históricas das três siglas e a luta pelos princípios democráticos. Segundo Fogaça, a aliança do PDT, PMDB e PTB em 2008 é um resgate histórico da doutrina trabalhista comprometida com o futuro. Saudou o senador Pedro Simon e o ex-governador Alceu Collares como exemplos de homens públicos.

O ato partidário foi acompanhado também pelo presidente nacional do PDT e vice-presidente na Internacional Socialista, deputado Vieira da Cunha, que reiterou a importância política do ato unitário dos trabalhistas. Ao lembrar que Getúlio moldou o Estado brasileiro e criou os direitos trabalhistas, Vieira da Cunha destacou que a unidade dos três partidos se deve à candidatura de José Fogaça e ao trabalho realizado na atual administração da capital. Entusiasmado com a campanha eleitoral, ele comparou os índices de Fogaça com a campanha vitoriosa de Alceu Collares em 1985, “vi (ontem) na Restinga o quanto a população está identificada com Fogaça como o prefeito da cidade”, afirmou.

O candidato a vice-prefeito, José Fortunati, e os deputados Eliseo Padilha (PMDB), Alceu Moreira (PMDB), Cássia Carpes (PTB), os presidentes metropolitanos do PDT, vereador Nereu D’Avila, do PMDB, vereador Sebastião Mello, e do presidente regional do PTB, vereador Elói Guimarães, acompanharam o ato, além de militantes e simpatizantes dos três partidos.

O ato se encerrou com o canto do Hino Rio-grandense enquanto representantes dos partidos deixavam três arranjos de rosas na Carta-testamento.