Amazonino Mendes se torna quatro vezes governador do Amazonas

Ascom a coligação 'Movimento pela reconstrução do Amazonas' - Foto: Clóvis Miranda28/08/2017

O Negão chegou”. A frase entoada pelo governador eleito, Amazonino Mendes (PDT), virou um grito de guerra após a confirmação da vitória do líder da coligação “Movimento pela reconstrução do Amazonas”, na noite deste domingo (27). Amazonino venceu a eleição com 782.277 votos (59,23%), transformando-se no único político amazonense a ganhar quatro pleitos para o maior cargo do estado.

Durante a coletiva de imprensa, realizada na sede do Comitê Central, bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, Amazonino informou que vai criar a comissão de transição, na qual será comandada pelo ex-secretário de saúde Francisco Deoadato. Nesta segunda-feira (28), por volta das 18h, Amazonino será recebido pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB), em Brasília (DF).

“Vou nomear a comissão para fazer levantamento, corrigir os dados e as informações para que a gente possa adentrar o governo após a posse, já com base e conhecimento para governar. Depois, viajarei às 11h de amanhã (segunda), ao lado do senador Omar (Aziz) e do deputado federal Pauderney Avelino, onde seremos recebidos pelo presidente”, declarou.

Agradecimento

Amazonino Mendes agradeceu ao povo amazonense pela vitória e a dedicou ao falecido ex-governador Gilberto Mestrinho e a esposa Tarcila Prado de Negreiros Mendes, que morreu em 2015.

“Gostaria de registrar a minha imensa gratidão ao povo amazonense, por essa distinção simplesmente pautada, pois como é de conhecimento geral, já governei o estado três vezes e o povo mais uma vez me confere esta honraria. Mas é do meu sentimento, com a permissão de todos, dedicar a vitória ao inesquecível Gilberto Mestrinho e a minha querida esposa falecida Tarcila”, declarou em tom emocionado.

O líder enalteceu as qualidades do vice-governador eleito, deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) e o agradeceu pelo esforço dedicado durante todo o pleito. “É um jovem preparado, formado, absolutamente correto e que se transformou num gigante. Chegou o momento de tirar a capa da humildade e mostrar o seu valor Bosco Saraiva. Trabalharemos juntos com muito amor”.

Governo

Questionado se vai priorizar algum setor da máquina administrativa, Amazonino ressaltou que todas as secretarias serão priorizadas em sua gestão.

“A nossa eleição tem muito a ver com os pais desempregados, as mães, aqueles 300 mil amazonenses que perderam o emprego. A minha luta no Palácio de Governo será primordialmente pela busca, pela reintegração do emprego dessas pessoas”, destacou o candidato, salientando que saúde, segurança, educação e finanças vão ser reestruturadas. “Tudo é prioridade. Obrigação do governo é dar atenção absoluta, o que for preciso ser feito”, finalizou.

Do rio Eiru para a história do Amazonas

Amazonino nasceu em um seringal, na margem do rio Eiru, em Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus), na Calha do Juruá. O governador eleito formou-se em direito na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), onde integrou os movimentos estudantis. Em 1983, foi nomeado prefeito de Manaus, pelo então governador Gilberto Mestrinho. Quatro anos depois, Amazonino comandou o Estado pela primeira vez. O criador da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) também passou pelo Congresso Nacional, entre 1991 e 1992, exercendo o cargo de Senador da República. Em 1994, o “Negão” voltou ao governo do Amazonas e comandou o Executivo até o ano de 2002.