Acampamento Socialista mobiliza juventude do Rio de Janeiro

FLB-AP/Bruno Ribeiro11/07/2017

Sem mesa ou plateia. Foi assim, com um formato que privilegiou a integração e o diálogo, que a Juventude Socialista (JS) da cidade do Rio de Janeiro, realizou o primeiro Acampamento Socialista. Coordenado pelo presidente da JS carioca, William Rodrigues, o evento aconteceu no último fim de semana, com a participação do ex-ministro do Trabalho e Emprego, Brizola Neto.

O acampamento foi composto por  painéis que provocaram debates baseados em um amplo programa de estudos, tendo no papel de facilitadores, o presidente nacional da JS licenciado e vice-presidente estadual da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), Everton Gomes, e do presidente estadual da JS, Luis Moreira, como facilitadores, .

Ao todo, os pedetistas participaram, por mais de 12 horas, de atividades concentradas sobre formação política, divididas entre memória do Trabalhismo, história da juventude, ideologias e formação dos núcleos de base. Além de garantir a necessária troca de vivências, a iniciativa gerou um extrato que será sistematizado em um programa de ações para o segundo semestre deste ano.

“A tarefa fundamental é ganhar corações e mentes para nossa causa. O Acampamento Socialista qualificou essa juventude para avançar”, garantiu William Rodrigues.

Para Everton Gomes , a luta política se dá cada diária nas cidades, com pautas locais e cotidianas.

“A juventude quer ser ouvida e o processo de formação política é fundamental para dar consequência a tudo isso”, analisou.
Já o presidente Estadual da JS, Luis Moreira, exaltou o interesse dos filiados. “A expectativa para um novo modelo de formação política era grande. Deu certo e vamos levar para o interior”, afirmou.

Segundo os militantes, a proposta motiva para os próximos passos dentro do movimento. “Fico muito feliz de participar de atividades como essa e encontrar uma galera que pensa como eu, pois tem sede de conhecimento e escolheu o Brizolismo como causa”, comentou Natalia Moraes, estudante e militante da JS.

“A relação que temos enquanto militantes é fundamental. O acampamento reforça nossos laços de fraternidade e solidariedade”, complementou Thiago Veras, estudante e militante da JS.