A coerência em 1º lugar

Renata Viana

O apoio do PDT de Mato Grosso à candidatura de Emanuel Pinheiro no 2º turno das eleições para prefeito de Cuiabá é antes de qualquer coisa, a confirmação da coerência de uma legenda que não se pauta pelo “toma-da-cá” da velha e tradicional política.

A emblemática luta do PDT-MT pela garantia do direito legal dos servidores do Estado, pela reposição salarial legal e justa, contida no RGA é apenas a ponta de um iceberg profundo que se esconde no mar revolto da política comandada pelo governo do Estado.

Coerente com sua história, nosso presidente deputado Zeca Viana, manteve no segundo mandato, a mesma trajetória do primeiro. Fiscalizou e denunciou os desmandos do Executivo, que é uma das funções constitucionais do parlamento em qualquer esfera.

A posição do deputado não está ancorada no fato de o governador ter sido eleito pela legenda, tê-la abandonado ou por ter passado a tratar seus verdadeiros companheiros como inimigos políticos.

A posição do deputado está ancorada no fato de ser esse o papel exercido por ele durante o primeiro mandato e a continuação da postura foi promessa de palanque em 2014, independente do nome que ocupasse o Paiaguás. Taques incluso.

O candidato Wilson Santos, líder do governo na Assembléia desde a primeira hora desta legislatura, é a personificação desse imobilismo que hoje se materializa na administração estadual. Onde, por exemplo, sua contribuição na educação, se personifica na indicação de Permínio Pinto para a Secretaria de Educação, cuja obra mais visível é sua própria prisão por corrupção, como afirma o GAECO.

Wilson como prefeito não respeitou aos eleitores e abandonou o mandato, deixando o legado da ETA Tijucal e a prisão de auxiliares. Foi o porta-bandeiras de Taques no calote aos servidores. A derrota anunciada de Wilson Santos é a derrota pessoal de Pedro Taques, que jogou em Wilson todas as fichas políticas de um cacife político conquistado nas costas e na sola dos sapatos dos pedetistas e usufruído pela plumagem tucana de alto coturno.

Com esse histórico, não seria coerente apoiar a candidatura de Wilson Santos. O PDT-MT não prega o voto nulo, por razões republicanas e democráticas.

O apoio a Emanuel Pinheiro é fruto de uma convivência de dois mandatos e pela constatação inequívoca de que Emanuel esteve sempre ao lado bem, ajudando a aprovar recursos para as APAES e outras entidades filantrópicas de apoio aos mais necessitados, a fiscalização de atos do Executivo cuidando da correta aplicação dos recursos do povo e exigindo providências nos escândalos.

Ao assumir as bandeiras de luta do PDT-MT, que é a valorização do servidor público, o empoderamento político da mulher mato-grossense, a prioridade para a educação inclusiva e de qualidade, o desenvolvimento baseado na meritocracia e na produtividade. Emanuel Pinheiro é o nome que representa os anseios e as vontades dos membros do PDT-MT.

Apoiá-lo é a confirmação da coerência que baliza o projeto político do PDT-MT, muito distante do “toma-lá-da-cá” dos políticos tradicionais e em sintonia com os novos tempos de gente com gosto pelo social e pelo interesse maior de servir a nossa gente.

Parabéns pedetistas – Sigamos em frente!

 

* Renata Viana é secretária-geral do PDT de Mato Grosso