PDT de Curitiba deve disputar prefeitura com Wilson Picler


A maioria dos 104 pré-candidatos a vereador do PDT de Curitiba, no Paraná, participou de almoço realizado neste sábado (08/12) na Churrascaria Paiol, no bairro Parolim, marcando o encerramento das atividades da Universidade Leonel Brizola (ULB) neste semestre. O evento contou com a presença do Secretário Nacional do Partido, Manoel Dias; oportunidade em que o professor Wilson Picler, 1º suplente de deputado federal do PDT paranaense, colocou o seu nome à disposição do partido para disputar a prefeitura de Curitiba.

 

O vereador Jorge Bernardi abriu o ato destacando que a reunião era uma confraternização para homenagear Manoel Dias e Wilson Picler, responsáveis pela ULB e, ao mesmo tempo, um congraçamento entre os pré-candidatos a vereador, entre eles 23 mulheres. Bernardi fez um retrospecto do PDT paranaense, defendendo a necessidade do partido lançar candidatura própria à prefeitura de Curitiba: “Partido que não disputa eleição, não tem espaço, como no futebol. Time que não disputa não tem chance de ganhar campeonato”, comparou.

 

Bernardi, histórico do PDT paranaense, vereador na capital há seis mandatos, disse que se Picler sair candidato o PDT de Curitiba tem chances de fazer até oito vereadores, como já fez no passado. Segundo ele, fortalecer o partido na capital, com a candidatura Picler, é tornar mais fácil a vitória do Senador Osmar Dias em 2010, para a disputa do governo estadual. “Quem tem montaria não anda na garupa de ninguém”, concluiu – exaltando também o legado político deixado por Vargas, Jango e Leonel Brizola.

 

O ex-prefeito do município paulista Embu das Artes, Nivaldo Orlandi, agora radicado em Curitiba, também defendeu a idéia de candidatura própria e o nome de Wilson Picler para a disputa. “Temos que ocupar todos os espaços políticos, especialmente o rádio e a televisão na campanha eleitoral”, observou. Afirmou também que o PDT, com candidatura própria a prefeito, facilita também a campanha eleitoral de todos os seus candidatos a vereador. “O PDT de Curitiba está pronto para a candidatura própria”, destacou.

 

Como o próximo orador, Wilson Picler assinalou que ninguém é candidato de si próprio, que concorda com a tese de que se o PDT de Curitiba disputar a prefeitura fortalece, com certeza, as candidaturas dos vereadores e encerrou sua rápida fala dizendo que colocava o seu nome à disposição do partido. “Desempenharei a missão com carinho e satisfação se esta for a decisão do partido”, assinalou.

 

Sobre a Universidade Leonel Brizola, disse que nessa fase inicial procurou interferir o mínimo possível para que o PDT encontrasse uma linguagem própria para tocar o projeto da Universidade, mas, que no próximo semestre, com a retomada das aulas a partir de fevereiro, pretende colaborar mais com a iniciativa. Picler disse que, junto com o vereador Jorge Bernardi, pretende organizar no período de férias dois cursos para serem ministrados via ULB para os militantes do PDT de todo o país: Curso de Processo Legislativo e Curso de Administração Municipal.  

 

“Vamos planejar, gravar as aulas, preparar o material didático e nos colocar a disposição de todos os alunos da ULB, levando junto a experiência de ensino à distância que temos do Centro Brasileiro de Educação à Distância (Cebed)”, afirmou Picler. Além de primeiro suplente do PDT, Picler é dono do Cebed responsável por vários cursos de nível superior ministrados via satélite para todo o país, estrutura que colocou à disposição do PDT para a formação de quadros políticos também através da televisão.

 

Último orador, Manoel Dias destacou que a criação da ULB foi o fato político mais marcante do PDT no ano que se encerra porque o uso da ferramenta televisão permitirá que o partido se renove em todo o país, através dos cursos à distancia. “Somos o único partido brasileiro preocupado em usar a televisão como ferramenta política de formação”, destacou.

 

Manoel Dias lembrou que o PDT já possuiu 47 deputados federais em suas fileiras, quando Brizola disputou com chances de vitória a eleição presidencial de 1989, mas que depois foi sofrendo um processo de esvaziamento que só agora, e progressivamente, começa a reverter. E a ULB será a grande ferramenta da virada, na sua opinião. Manoel disse que este ano de 2007 serviu para o PDT tomar conhecimento da nova realidade e que após o intervalo de final de ano, a ULB voltará com força total em fevereiro, reformulada e com novos cursos e tele-salas.

 

Ao anunciar a inauguração na próxima sexta-feira (14/12) de uma tele-sala na favela da Maré, disse que considera a iniciativa emblemática tendo em vista as dificuldades que existem na comunidade. Saudou também a inauguração, semana passada, de uma tele-sala em Roraima com a presença de mais de 800 pessoas. “Temos, cada vez mais, de assumir a tarefa de mudar o Brasil”, afirmou.

 

Encerrando, defendeu a idéia de que o PDT de Curitiba deve lançar candidatura própria para inclusive fortalecer a campanha dos vereadores. “Quero saudar a todos os pré-candidatos a vereador presentes e defender a idéia de candidatura própria como forma de fortalecer o PDT de Curitiba e o conjunto de candidaturas a vereador”.